Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

UMA VIAGEM AO INFERNO – 4

 

 

Dos penhascos da Lousã fomos até Oleiros através de paisagens dantescas de negrume e desolação. Árvores, casas, chão, tudo calcinado e vastas zonas onde, passados seis meses da grande desgraça, ainda nem sequer as ervas – mesmo as daninhas - brotam. Tudo negro.

 

E a pergunta é: o que se faz a quem provocou tanta desgraça? As respostas são várias e talvez nem todas enquadráveis no quadro jurídico português.

 

E porquê Oleiros e não qualquer outro destino? Porque é lá que se come o cabrito estonado e nós somos um grupo de quatro casais bastante gulosos. Íamos «mandados» para um restaurante lá para as bandas da serra e já nos lambíamos a adivinhar o que nos esperava mas, afinal, foi muito melhor do que estávamos a imaginar.

 

cabrito-estonado.jpg

 

A nossa dúvida era a de saber como é que se justifica um hotel de quatro estrelas em Oleiros. Ora bem, fizeram o mesmo que os das aldeias de xisto: chamaram turistas e têm o hotel quase sempre cheio. O cabrito é um dos chamarizes mas há outros que os meus leitores hão-de descobrir. E se lá quiserem ir, despachem-se a reservar lugar no hotel que só tem 19 quartos e duas suites. E reservem também para os restaurantes que hão-de descobrir na Internet.

 

Mas o hotel merece uma referência especial porque não restam dúvidas de que não seria fácil encontrar quem avançasse para o risco de uma iniciativa hoteleira no meio de nada. Então, foi a Câmara de Oleiros que o fez. Depois de o ter feito, foi à procura de quem o gerisse e felizmente, encontrou no próprio Concelho quem aceitasse o desafio. E quem foi? Bem, foi precisamente o dono de um dos restaurantes do tal cabrito que passou a ter clientes forasteiros no restaurante porque há boa hospedaria e o hotel tem clientes porque o cabrito é um motivo especial para os gulosos que por aqui andamos. E tudo isto é também um motivo de sustentação da criação caprina na zona.

Hotel de Oleiros.jpg

 

Então, é assim: se não fosse o hotel nós não iríamos ao restaurante e se não fosse o restaurante nós não iríamos ao hotel. Mas fomos e gostámos. Belo hotel, leitores.

 

Mas entre o hotel e o restaurante, lá estava o Inferno.

 

Abril de 2018

Holanda-JAN18.JPG

 Henrique Salles da Fonseca

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D