Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

UMA VIAGEM AO INFERNO – 2

 

 

LENDAS E ESPECULAÇÕES

 

Por incrível que pareça, já conhecia Xangai, Moçambique duma ponta à outra, Ushuaia, a Austrália e por aí fora… e nunca tinha isso à Lousã. E, contudo, a Lousã exercia um fascínio especial na minha imaginação. Porquê? Porque a professora de alemão durante a minha infância e juventude, passava todos os Verões três semanas na sua Berlim natal e duas semanas na Serra da Lousã. E isso sempre foi um tanto ou quanto misterioso para a minha família: o que levava uma alemã a ir todos os anos para aquela remota serra? E quando foi isso? Muito bem, refiro-me aos anos 50 do séc. XX, ou seja, pouco depois do fim da II Guerra Mundial. Os meus pais nunca fizeram perguntas e nós, as crianças, muito menos.

 

E aqui entra a imaginação a funcionar; melhor, a especulação…

 

Ora bem, o restaurante onde tínhamos reserva para o almoço é em plena Serra da Lousã, num fim de estrada, no fundo do buraco próximo do sopé do promontório em que se localiza o castelo, entre barrancos só acessíveis por pé de alpinista ou por estrada escavada nas encostas íngremes onde a Internet não chega. Claramente, um local «onde o Diabo perdeu as botas». Mas se as estradas têm hoje bom asfalto, dá para imaginar o que seria nesses anos do pós-guerra, eventualmente sem alcatrão, sem telefones nem Correio, isolamento praticamente total, num país que fora neutro no conflito armado que assolara o mundo pouco tempo antes.

 

Que tal imaginar que aquilo poderia perfeitamente servir de esconderijo para nazis em fuga? Não sei se o foi ou não mas nesta minha primeira visita ao local, a hipótese não me saiu da cabeça e acho agora perfeitamente possível que a minha professora viesse então de Berlim com notícias «fresquinhas» para «amigos» secretos ali escondidos. E seria ela nazi? Nunca tal coisa nos passou pela cabeça mas o melhor é não pormos as mãos no fogo.

 

Será esta uma hipótese falaciosa? Talvez. Mas de acordo com uma lenda antiga, o castelo – hoje denominado de Arouce - terá sido erguido pelo emir Arunce, para proteção da sua filha Peralta e dos seus tesouros após ter sido derrotado e expulso de Conimbriga. Veja-se como já então ali se resguardavam os que pretendiam ficar ocultos do mundo.

Castelo da Lousã.jpg

 

Sim, talvez tudo isto sejam apenas lendas e especulações.

 

Abril de 2018

Cabo Sounion 1-MAR18.JPG

 Henrique Salles da Fonseca

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2004
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D