Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A bem da Nação

JÚLIO POMAR

Júlio Pomar, Vincennes II, 1965.jpg

Vincennes II, 1965

 

Júlio Artur da Silva Pomar foi um artista plástico/pintor português. Pertenceu à 3ª geração de pintores modernistas portugueses, sendo autor de uma obra multifacetada, centrada na pintura, desenho, cerâmica e gravura, com importantes desenvolvimentos nos domínios da tridimensão ou da escrita.

Nascimento: 10 de Janeiro de 1926, Lisboa

Falecimento: 22 de Maio de 2018, Lisboa

Períodos: Expressionismo abstrato, Neoexpressionismo, Realismo Social

Nacionalidade: Português

Formação: Universidade do Porto

Cônjuge: Alice Jorge (1924-2008)

Filhos: Alexandre Pomar, Vítor Pomar, Pedro Pomar

Wikipédia

EXPOSIÇÃO DE PINTURA

MOITA MACEDO

“O Sentido da Esperança”

12 a 19 de Março de 2009

Palácio Rocha Conde de Óbidos

Sede Nacional da Cruz Vermelha Portuguesa

Jardim 9 de Abril, 1 a 5 | 1249-083 Lisboa






No Natal de 2008 a Cruz Vermelha Portuguesa vendeu Esperança para poder oferecer um pouco mais de futuro com Esperança a muitos que dele necessitavam.

Na Páscoa de 2009 vamos continuar este propósito. Porque queremos dar mais um pequeno contributo ao SENTIDO DA ESPERANÇA no mundo que teima em nos lembrar que “na escuridão a escada tem sempre mais um degrau”.

Vamos agora, nesta caminhada, chegar a mais um momento de contemplação de Esperança na contemplação da obra de Moita Macedo (1930-1983) um artista que “pintou versos, escreveu quadros” e encarnou criativamente em toda a sua produção artística, um notável sentido estético e vigoroso da Esperança. Um diferente sentido da Esperança de viver num Mundo Melhor.

E queremos que, desta forma diferente de olhar e antecipar um futuro diferente e neste momento de emergência social em todo o mundo, venha contribuir para apoiar uma Causa que a Cruz Vermelha Portuguesa quer continuar a construir e viver serenamente.


Luís Eduardo da Silva Barbosa
Presidente da Cruz vermelha Portuguesa






Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2004
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D