Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

SÃO APENAS VEGETAIS

 

Abade Faria.jpg

 

ABADE FARIA, O HIPNOTIZADOR

 

Trata-se do goês José Custódio de Faria, nascido em Candolim, distrito de Bardez, Goa, em 1746. Filho de Caetano Vitorino de Faria, brâmane saraswati e Rosa Maria de Souza Possuía ainda uma irmã adoptada, de nome Catarina. Os pais do abade mais tarde separaram-se, ambos aderindo à vida monástica.

 

Acompanhado do pai, chega a Lisboa em 1771 e depois de um ano vivendo na metrópole, os dois convencem o rei de Portugal, D. José, a custear os estudos de Faria sénior, Caetano Vitorino, em Roma no intuito de obter o doutorado em teologia e os de seu filho, José Custódio, como religioso. Mais tarde o próprio abade conquistaria o doutorado em teologia causando impressão suficiente no Papa de então (Pio VI), que o convidou para que realizasse um sermão na Capela Sistina, sermão esse escutado por Sua Santidade em pessoa.

 

Após essa honraria, foi a vez da rainha D. Maria I requisitar um sermão do abade. Reza a lenda que o abade Faria, ao ver audiência tão ilustre, “travou” a língua não conseguindo pronunciar palavra alguma. Seu pai, percebendo o que se passava, gatinhou debaixo do púlpito e sussurrou em concanim (a língua local goesa) ao filho: ”são apenas vegetais…corte os vegetais!”. Depois da ajuda paterna, o medo dissipou-se e o sermão seguiu tranquilamente.

 

Essa experiência curiosa causou impressão fulminante em Faria: como poderia uma simples frase fazê-lo perder o pânico momentâneo que o tomou? Estava aberto o caminho para os seus estudos sobre hipnotismo, o que geraria um dos grandes pioneiros da técnica.

 

Faria é considerado herdeiro dos estudos de Franz Anton Mesmer, o “inventor” da hipnose como conhecemos hoje. A sua visão da hipnose foi influenciada profundamente pela filosofia e ciência hindu, sendo chamada às vezes de “hipnose oriental”. É dele a noção de que a hipnose flui através do poder de sugestão do hipnotista, conceito firmemente creditado ainda hoje; Mesmer creditava a consciência hipnótica ao que chamava de “magnetismo animal”. O conceito de auto-sugestão, também em voga ainda hoje, é outra de suas contribuições.

 

É interessante notar que boa parte do vocabulário moderno ligado à hipnose moderna teve origem também nos seus estudos. Pouco depois do episódio do sermão de D. Maria I e do seu aprofundamento nos estudos científicos, Faria é implicado na “Conspiração dos Pintos”, (o equivalente da “Inconfidência Mineira” brasileira). Com isso, o abade passa a residir em Paris, em plena Revolução Francesa, onde lidera um batalhão revolucionário, o “10eme Vendémiaire”, que contribuiu para a queda da Convenção Revolucionária francesa (o Directório).

 

Chateau d'If.jpg

 

Em 1797 é preso por razões desconhecidas passando um bom tempo numa solitária do temido presídio “Chateau d’If”. Lá, passa a maior parte do tempo a praticar as suas teorias de auto-sugestão. Algum tempo depois é liberto, porém, desgosta-se ao ver que prevalecem visões opostas à sua teoria de hipnose.

 

Acusado de charlatanismo, resolve recolher-se a uma ordem monástica obscura morrendo de derrame cerebral em Paris, em Setembro de 1819. Foi enterrado em local desconhecido e até hoje a localização de seus restos bem como sua última residência permanecem um mistério.

 

Não bastasse a vida cheia de peculiaridades, Alexandre Dumas no seu “Conde de Monte Cristo” inclui o abade como um dos personagens de sua trama (Abeé Faria), dando especial atenção ao período em que o abade passou no Chateàu d'If.

 

Emerson Santiago

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D