Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

RETRO 2016

 

América do Sul

 

Um retrato pseudo estatístico-intelectual

 

 

Pequena “viagem” pela América do Sul, a olhar para o que passou. Visão... dantesca.

 

À frente do alfabeto vem a Argentina que ganha do Brasil por 2 a 1. Duas madamas presidentas, qual delas a mais pior má, contra uma que... empata com elas. Em corrupção, em desorganização, em favoritismos, parecendo que a única diferença seria que as duas argentinas, segundo as boas línguas, receberiam alguns favores, enfim secretos, enquanto à brasileira nem o diabo lhe quis aparecer. Coisas!

 

2016 trouxe um novo presidente, macro, super aplaudido no início e super xingado ao fim de alguns meses!

 

Mas o que não se pode negar é que a Argentina tem a melhor carne do planeta, magníficos vinhos, uma Patagónia espectacular e a cidade mais austral do dito planeta onde se podem comer brilhantes santolas – centolla – e uma merluza negra ou o cordero fueguino, huummm, madre mia!

 

A seguir o B.

 

A Bolívia em vez duma eva tem um evo! Está no terceiro mandato, e quer mais uma vez alterar a constituição para se quadri-eleger. O povo já votou NÃO, mas o evinho, ou evito, que gostou do poder, vai fazer novo referendum e já se imagina que o “povo” vai dizer sim, mesmo antes de votar. Mas, vá lá, o país vem crescendo cerca de 5% ao ano apesar de cerca de 50% da população viver abaixo da linha de pobreza.

 

O tal evo roubou a refinaria ao Brasil, e depois o sapo barbudo decidiu que ficava tudo por isso mesmo, não valia a pena chatear o compañero... porque sempre pode escorrer algum por fora. E nisso os esquerdistas são muy amigos.

 

Tem coisas maravilhosas para se visitar, como o lago Titicaca, mas já está poluído por falta de ordenação e excesso de turismo! É!!!

 

Na sequência alfabética aparece a Colômbia. O governo fez um acordo de paz com as FARC, mas o povo não gostou! Parece que por toda a parte as gentes procuram a paz menos 51% dos colombianos. Talvez tenham assim mais dificuldade em mandar a coca para o EUA que, além de serem os principais consumidores, são os grandes fornecedores da química para transformar a pasta de coca em cocaína.

 

Boa parte da Amazónia colombiana, cheia de petróleo, tem milhares de quilómetros quadrados onde nada o petróleo, tudo pela ganância. Uma delícia para o ambiente.

 

Ainda no B, como todos sabem (só alguns, infelizmente) o Brasil nada tem a ver com a Venezuela, salvo a sua grande fronteira comum. Primeiro porque Brasil se escreve com um “B” e Venezuela... não.

 

Depois porque a Venezuela nem papel higiénico tem para a população se higienizar, apesar do presidente estar podre de maduro e de estupidez, enquanto os brasileiros podem, sem que alguém tenha alguma coisa a ver com isso, limpar o que quiserem, excepto os políticos. Para esses não há papel que chegue, nem cartão, nem sentenças judiciais... quando as há! O resto, segundo estatísticas, parece que anda limpinho.

 

No Brasil o sapo barbudo, dilmissimamente mancomunado, conseguiu destruir uma economia que, malgré toda essa ladroagem, campeã mundial em meter a mão na cumbuca pública, continua a crescer, porque segundo Caminha, aqui em se plantando tudo dá.

 

Agora está lá um pobre diabo, que não é de temer, porque quer dar-se bem com a esquerda, com a direita, com Deus e o Demo, e não tarda a levar um chuto no lugar certo. Quanto aos demais, os chamados “lá de cima”, parece haver uma disputa para ver quem ganha o maior número de processos nos tribunais, o que parece lhes dá mais prestígio e força política. E olhem que a tabela de classificações, além de ser enorme, tem caras muito bem classificados. Até dá gosto ver o fenomenal desempenho de alguns – qualquer coisa como mais de um milhar deles – e, sobretudo tentar compreender como se consegue roubar tanto sem ficar saciado, e ficar a rir dos juízes. É o jeito!

 

FGA-primeira missa no Brasil.jpg

 

Bem, o Brasil tem praias, caipirinha, lindas mulheres e muitos assassinatos. Só uns 55 a 60 mil por ano.

 

Estreámos o ano com 60 assassinatos numa cadeia (com requintes de decapitação e esquartejamento) o tal inter-temer (inter, de interino) até hoje parece não ter tomado conhecimento porque nada disse, e, estamos no dia 5 e só no Rio já assassinaram 5 policiais. Boa média.

 

O C. Quem quiser visitar a Colômbia, tem que ir a Cartagena de Las Indias, que foi o grande centro de distribuição de escravos para todo o Caribe e Estados Unidos. Cidade muito bonita, a parte histórica, mas com história um quanto feia.

 

Também pode ir a Medellin ou Cali e tentar a sorte associando-se a algum narcotraficante, já que foram (ou ainda serão?) os maiores polos de produção e distribuição de narcóticos.

 

Esta não faz parte dos meus planos turísticos.

 

Chegamos ao Equador. Presidenciado por um amigo da turma sinistra, como o sapo barbudo, maduro de podre, evito de la coca, o ex fidelíssimo e outros quejandos – seguia com a economia em razoável situação até que o preço do petróleo caiu. Além disso como há uns anos adoptou o dólar como moeda, com a alta do dólar... agora está um bocado... à rasca.

 

Por enquanto no aspecto de turismo tem muita coisa para ver. Segundo os Caras, os mais antigos da região foram os Quitos. Descobriram tudo porque tudo estava por descobrir, incluindo o rio das esmeraldas, que... não tinham a quem vender!

 

Depois vieram os Incas e por fim os castelhanos que os lixaram a todos. Podem pôr na lista de viagem que não se arrependem.

 

O Chile está pela segunda vez com a mesma madama, que no primeiro mandato combateu a esquerda e agora combate a direita. É de supor que a dona micheleta bachelle faz muito bem porque isso de não variar torna o governo chato. O póbrema é se ela se lembra de allendear o país e destruir o que de bom entretanto o Chile já conseguiu. Apesar de tudo continua a ter vinhos excelentes, cuja exportação vai aumentando, mas o cobre...ai! o cobre ainda representa 50% das exportações (o primeiro exportador de Cu do mundo), o que deixa o país vulnerável às variações de cotações internacionais.

 

Mas o turismo cresce e eu, se pudesse, voltaria lá. Beber o vinho, comer frutos do mar e ir lá... ao Sul, e passear na Estreito do Magellan! É uma beleza.

 

Das três guianas não há muito que se diga, a não ser os nomes delas:

 

- a francesa continua a ser uma colónia de França de onde os ditos/as lançam foguetes, e pouco mais produz do que ouro. Tem um lugar “magnífico”, a Ilha do Diabo, a daquele “hotel de luxo” de onde, em 1935, fugiu o famoso Papillon (de seu nome, Henri Charrière) e que faz parte das chamadas Ilhas da Salvação. Salvou-se... um!

 

- a holandesa, desde 1975 independente com o nome de Suriname tem ouro e bauxita e... que mais tem?

 

- e a terceira Guiana tout court, era inglesa, em 1970 perdeu este british complemento, é o país mais pobre do continente e a Venezuela ainda lhe quer mamar mais de 60% do território, porque diz que o bolivarzinho... de modo que tem sempre questões fronteiriças.

 

Do Paraguay também não há muito que se diga. Teve um presidente, depois de vários frutos, que era bispo, deixou de o ser, fez imensas burradas e uma porção de filhos nas suas devotas seguidoras, e mostrou ao Brasil o caminho do impeachment, levando um chuto nos fundilhos. Hoje em dia quem dá as cartas é o cartes. Vive principalmente da energia elétrica que o Brasil consome na barragem bi-nacional de Itaipu, da agricultura e do contrabando, contrabando de tudo, para o Brasil!

 

Para finalizar o tour sul-americano chegamos às ex Províncias Cisplatinas, o Uruguay. Paisinho tranquilo, óptimo para vacaciones, casino, praias e um governo de esquerda-direita-esquerda que se democratizou desde 1985 e se porta razoavelmente bem, com 50% da população vivendo na capital.

Como os vizinhos, têm óptimo comida, algum vinho... razoável, muito boi e carneiro, soja, etc.

 

Até o Carlos Gardel disse que era uruguaio – era francês! – para não servir no exército na II Guerra Mundial.

 

O nosso filho Luis também sonha em se matricular no Uruguay. Sonhar é barato.

 

Turismo recomendado.

 

05/01/2017

 

Francisco Gomes de Amorim, 2016

Francisco Gomes de Amorim

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D