Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

REPÚBLICA HIEROCRÁTICA DO IRÃO

 

Ali Kamenei.jpg

 

Durante séculos, os xiitas tinham declarado como ilegítimo qualquer governo enquanto durasse a ausência do «imã» oculto. Como tal, não aceitava que os ulemás governassem o Estado. Porém, dadas as circunstâncias do Irão do Xá, os ulemás deviam governar excepcionalmente para salvaguardar a soberania de Deus. Se um faqih (académico em jurisprudência islâmica) assumisse o controlo das instituições políticas e administrativas, poderia assegurar a aplicação correcta da Sharia. Mesmo que o faqih não estivesse à altura do Profeta e dos «imãs», o seu conhecimento da Sharia significava que podia assumir a mesma autoridade que eles tinham tido.

 

Uma vez que Deus era o único legislador verdadeiro, em vez do Parlamento que criava a sua própria legislação humana, haveria uma Assembleia que aplicaria a Sharia em cada aspecto da vida humana.

 

E assim aconteceu e continua a acontecer no moderno Irão com todas as ambiguidades da sua teocracia[1] xiita que conhecemos pelos meios de comunicação social e literatura sem fim. Quem é que não conhece a história rocambolesca da tomada da Embaixada dos Estados Unidos pelos estudantes de Teerão a 14 de Fevereiro de 1979? E o desejo de Komeini em impor aos Estados Unidos o repatriamento do Xá Muhammad Reza Pahlevi? Quem é que não conhece as execuções massivas e primárias de iranianos coniventes com o antigo regime Pahlevi? Se o antigo regime monárquico era ditatorial, este novo regime não é menos ditatorial.

 

O que é que falta em toda esta narrativa política, religiosa e revolucionária? Falta (...) o princípio da racionalidade.

 

Uma fé irracional é sempre fanática e paranóica. Não dialoga nem aceita qualquer género de democracia participativa porque a soberania de Deus só pode ser aceite de modo totalitário sem mediações humanas democráticas. Os direitos humanos submetem-se, sem tergiversar, ao único Direito de Deus.

 

O xiismo do actual Irão komeinita é uma ideologia fundamentalista fruto duma teologia também fundamentalista.

 

Entregar o governo duma nação ou das nações à religião (religiões) sempre foi e continua a ser um perigo letal.

 

 

P. Joaquim Carreira das Neves.png

Joaquim Carreira das Neves

 

In “DEUS EXISTE? – uma viagem pelas religiões”, EDITORIAL PRESENÇA, 4ª edição, Setembro de 2013, pág. 332 e seg.

 

NOTA: Sobre o xiismo, ver p. ex. em https://pt.wikipedia.org/wiki/Xiismo

 

[1] Teocracia – o regime político que é comandado por Deus; Hierocracia – o regime político que é comandado pelo Clero.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D