Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

PRIMAVERA EM FLOR – 3

 

 

Porque estamos em democracia, a autocracia de Ana Ferreira não faria hoje qualquer sentido pelo que foi substituída pela hegemonia de duas famílias poderosas chegadas não do amigo Continente mas sim da Madeira. E como me foi contado por diversos portosantenses em conversas separadas, a economia da ilha é dominada por esses dois clãs a quem o povo atribui todos os males de que padece. - Mas o Governo Regional da Madeira mudou, disse eu. Ao que me responderam geralmente com um encolher de ombros significando algo como «wait and see». Talvez seja por causa deste confronto intra-regional que a Autarquia local é socialista e não social-democrata. E eu, que nada tenho a ver com o assunto, pergunto-me se o mal é do ovo ou da galinha: votam num Partido diferente, não têm o apoio do Governo Regional; não têm apoio do Governo Regional e protestam votando num Partido diferente. Se são adultos e já andam nestas andanças há décadas, não vejo que se perfilem candidatos interessados em resolver o despique.

 

Lobo Marinho.jpg

 

Os problemas de que se me queixaram são dois: os horários das ligações marítimas beneficiam os madeirenses e prejudicam seriamente os portosantenses; os hotéis modernos (de 5 estrelas) praticam o regime de «tudo incluído» nada deixando transbordar para a economia local.

 

E nós (a minha mulher e eu), antes de ouvirmos essas queixas, tínhamos já tomado a decisão de não irmos de barco à Madeira pois teríamos que lá ficar uma noite para nada visitarmos ou duas noites para podermos ter um dia de visita; optáramos pelo regime de dormida e pequeno-almoço para podermos cirandar por onde nos apetecesse sem ficarmos agarrados a um único hotel. E o povo da restauração agradeceu muito acolhendo-nos com verdadeira simpatia. Almoçámos todos os dias nos bares-restaurantes na praia e ao jantar não repetimos um único restaurante para tentarmos «distribuir o mal pelas aldeias».

 

Em termos turísticos, Maio não é carne nem peixe pois fica depois da Páscoa e antes do Verão. Mas os pilotos dos aviões estrangeiros têm muito medo do aeroporto da Madeira e dias houve em que fugiram 4 ou 5 para o Porto Santo cuja pista foi inicialmente construída pela NATO e hoje, depois de civilizada, é uma maravilha de conforto. E os turistas desses aviões desviados fazem quase sempre um «night stop», expressão banal na gíria local. Pelo menos o valor dessa curta hospedagem fica na ilha. Mas convenhamos que é curto pois soubemos que no nosso hotel chegámos a estar apenas três hóspedes: nós os dois e uma velhota alemã que se metia alegremente nos copos. E cá está mais uma alemã que há muitos anos vai para o Porto Santo.

 

Aerovip2014.jpg

 

As ligações aéreas regulares com a Madeira são feitas com um avião de 18 lugares (o maior, pois há um outro de 4 lugares que vi estacionado no aeroporto mas sobre que não ouvi falar) que parece desempenhar a missão a contento dos locais mas fizeram-nos logo saber que a empresa concessionária da ligação é do continente amigo e não da Madeira. As ligações aéreas de emergência - evacuações de cariz médico - são feitas pela Força Aérea de avião (ou de helicóptero para os casos que exijam a utilização do heliporto no Hospital do Funchal).

 

Não cheguei a perceber qual a missão da Marinha e do Exército mas admito que ambos exerçam missões de soberania. In extremis, de quem os locais dependem é da Força Aérea; os outros Ramos das Forças Armadas, por pouco que façam em termos operacionais, sempre largam umas maçarocas localmente e isso o povo vê com muito bons olhos.

 

O campo de golfe está muito amarelado e tiveram que me apontar o único praticante que lá estava quando subi ao Pico de Ana Ferreira; os courts de ténis não tinham actividade quando por lá passámos e o cartódromo está abandonado.

 

Parece que da modorra local nem só os madeirenses serão os culpados.

HSF-Primavera em flor.jpg

E finalmente vi flores que alegraram a nossa Primavera: eram umas ervas daninhas que - também elas e não apenas as «boazinhas» - floriam junto a um muro de cimento que esse, coitado, não floresce.

 

E por aqui me fico assim pondo um ponto final na reportagem sobre o Porto Santo. Obrigado pela companhia e até à próxima!

 

Maio de 2015

 

Porto Santo-MAI15-B.jpg

Henrique Salles da Fonseca

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D