Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

O PORTEIRO

 

porteiro2.png

 

Naquela porta do «hospital» só entrava quem eu considerava que estava em condições de lá ir dentro para o tratamento apropriado; quem saísse daquela porta era por mim encaminhado ao destino que eu considerava conveniente. A preparação dos que haviam de entrar ao fim do dia fazia-se no meu gabinete; o encaminhamento dos que saíam fazia-se também no meu gabinete mas só na manhã do dia seguinte. Muitas vezes, a receita para os tratamentos já ia cá de fora rascunhada como sugestão e lá dentro era eu que a cantava para o «médico» a escrever pelo seu punho. Nunca o «médico» fez alguma pergunta sobre cada um dos que lá estavam em tratamento sem que eu respondesse prontamente, ou seja, eu tinha que saber tudo sobre cada caso.

 

Muitas vezes, ao fim-de-semana tínhamos que ir ver o que se passava nas «enfermarias» mas na segunda-feira seguinte voltava ao trabalho como se tivesse estado a descansar no Sábado e no Domingo.

 

Quando a minha filha mais nova nasceu, trouxe a minha mulher e o bebé para casa e lá fui eu estrada fora em ronda pelas «enfermarias». A minha mulher ainda hoje me atira isso à cara e essa nossa filha também já é mãe.

 

Quando o motorista me vinha buscar de manhã e me levava até ao meu posto de trabalho, eu invejava as pessoas que via nos passeios com ar descontraído e até prazenteiro. À noite, na volta, vinha tão cansado que já não via se os passeios tinham gente. Mas durante a semana nunca cheguei a casa depois da meia-noite.

 

O cansaço pode ser destrutivo e assim como o recruta só pensa em dormir, eu só ambicionava um fim-de-semana em casa com a família.

 

Foi a partir de então que considerei os fins-de-semana intocáveis.

 

Algum tempo depois desse «hospital» ter fechado, ainda andava eu estafado e a tentar retomar o ritmo normal dum simples Contribuinte, adoeceu fatalmente uma parente nossa que visitámos duas ou três vezes nos hospitais por que foi passando e lembro-me de, certa vez, o termos feito durante um fim-de-semana. O mais estranho foi que dei por mim a pensar que, sendo fim-de-semana, essa nossa parente deveria estar em casa sossegada com a família e não ali naquele sítio (pensei mas nunca o disse; escrevo-o agora pela primeira vez).

 

Mas o porteiro daquele hospital disse-nos que a nossa parente estava no quarto nº... do Serviço de... e que aquela era a hora de a podermos visitar. Entrámos e também ali não havia fins-de-semana.

 

O cansaço pode mesmo ser destrutivo da racionalidade e se não tenho grandes possibilidades de adivinhar o futuro, duma coisa tenho a certeza: nunca mais voltarei a ser porteiro dum «hospital», desses que o não são.

 

Outubro de 2014

 

Chipre-Mosteiro de Kikkos 3.JPG

Henrique Salles da Fonseca

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D