Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

NÓS, OS FILHOS DOS VENTOS CÁLIDOS – 9

Assentes na democracia pluripartidária, foi tempo de descansar.

Sim? Não, é claro!

Acabara o tempo hard, da traulitada; começavam os tempos da discussão sobre o que cada um entendia acerca do bem comum.

Era o tempo dos fundadores - Mário Soares, Francisco Sá Carneiro, Adelino Amaro da Costa.

E os outros? Os outros ou não eram democratas ou não «davam uma para a caixa», não entram no grupo dos que fizeram doutrina.

Excluído o absurdo, as alternativas de bem comum que se perfilaram no arco democrático foram o socialismo apresentado pelo PS, a social democracia apresentada pelo PPD (que mais tarde se passaria a chamar PSD) e a democracia cristã apresentada pelo CDS. De notar que todas estas alternativas apresentavam pontos comuns que passaram a constituir a base mais alargada das grandes opções políticas nacionais. Refiro-me ao pluripartidarismo, à subordinação das Forças Armadas em relação ao poder legislativo, à independência do Poder Judicial relativamente aos demais órgãos de soberania, à opção europeia.

Eis como, excluindo casos de lógica perturbada, a minha geração em Portugal optou livremente por um modelo que reservava para a propriedade pública os sectores estratégicos (o do PS), alargava praticamente toda a propriedade ao privado ressarcindo o interesse público pela forte tributação (o modelo social democrata do PPD-PSD) e o modelo da economia social de mercado (o do CDS) com a democratização do acesso dos privados aos meios de produção.

E foi essa a discussão que se seguiu?

Bem… talvez tenha sido um pouco diferente mas não me apetece concluir este texto em lágrimas e não vejo motivos para a alternativa alacre.

Fico-me hoje por aqui e vou ver como hei-de retomar o fio da História amanhã.

(continua)

Henrique Salles da Fonseca

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D