Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

MUITAS E DESVAIRADAS GENTES – 14

 

A ilha de Capão (Vanxim, actualmente) no rio Mandovi era uma propriedade que a Igreja de Goa pusera à disposição dos agricultores locais que assim formaram há muito uma comunidade agrícola e piscatória. Mas em 2006, a proprietária dos terrenos (cerca de 8 hectares) decidiu vendê-los para que no local se fizesse um empreendimento turístico resultando deste modo que a comunidade agro-piscatória se passou a ver na contingência do despejo.

 

Padre Bismark Dias.jpg 

O Padre Bismarck Dias insurgiu-se contra a decisão da sua própria Igreja e liderou o movimento de defesa dos agricultores e pescadores da ilha.

 

Depois de também ter liderado a contestação a outros empreendimentos imobiliários, no dia 7 de Novembro de 2015 o seu corpo foi encontrado a boiar no rio Mandovi.

 

Não há quem convença os goeses de que se tratou de um acidente e os ânimos políticos estão bem acesos.

 

No dia seguinte à minha chegada a Goa, uma manifestação em Pangim exigindo o apuramento da verdade sobre a morte do Padre Bismarck foi alvo de uma acção policial que fez com que o Secretário-Geral de um Partido genuinamente goês fosse agredido com alguma violência. Dessa agressão policial ficaram registos em vídeo entretanto muito divulgados na Internet. Esse mesmo Partido procurou-me à noite no hotel para me alertar para o actual condicionamento da liberdade de manifestação em Goa e para o que consideram o atropelo dos direitos dos cidadãos por parte da corrupção. E, dizem, se o resto da Índia está nas mãos da corrupção, eles, goeses, não querem que isso aconteça a Goa.

 

Na minha qualidade de estrangeiro, tenho que ter muito cuidado para que não se diga que estou a intrometer-me nas decisões internas de um Estado soberano mas contar estas realidades de que a televisão local fez enorme eco, não me parece que seja intromissão. Dá-se a circunstância de vivermos actualmente na «sociedade de informação» e de as redes sociais não estarem submetidas a eventuais lobbies dos grandes meios da comunicação escrita, da rádio ou da televisão. O mundo já não é como era até há muito pouco tempo e é impossível calar as gentes. As gentes vieram falar comigo e eu relato o que elas me disseram para que se saiba que recaem dúvidas sobre a transparência da actual política goesa. Mais: vieram pedir-me que divulgue os seus temores quanto à segurança física que correm ao contestarem as iniciativas de que discordam.

 

É para mim óbvio que é a qualidade da política goesa que está em causa, ou seja, dá para questionar se não será a democracia que está a ser cilindrada por quem não tenha escrúpulos.

 

Mas, agora sim, meto a foice em seara alheia e culpo os goeses de emigrarem deixando a sua terra à mercê dos imigrantes que assim invadem e destroem a cultura de Goa. Agora é a vez de o Governo do Estado (comandado a partir de Delhi pois é do mesmo Partido que o do Governo da União, o BJP) mudar o nome das cidades como se prepara para fazer com Vasco da Gama substituindo-lhe o nome por outro que nada diz aos locais.

 

Mas se os goeses emigram, como se pode defender a cultura goesa contra a invasão?

 

Os goeses na diáspora dizem que a culpa é dos que lá ficaram – a culpa morre sempre solteira – mas é muito triste ver-se uma Nação a cometer suicídio.

 

Lisboa, 12 de Dezembro de 2015

 

Henrique à porta da Sé de Goa.JPG

 Henrique Salles da Fonseca

(à porta da Sé de Goa)

17 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D