Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

MAS SE ELES GRITAM “NO PASARÁN”!

 

Enviei o seguinte curto comentário ao texto intitulado «Mensagem aos estrategas», destinado a manifestar a minha compreensão pelo Governo minoritário, caso este desista, rogando, entretanto, intimamente e egoisticamente para que não o faça, na linha do caprichoso e desinibido texto do Dr. Salles, do tipo de “pão pão, queijo queijo”, sem se impressionar pelas nossas naturais sensibilidades do “coitadinho”: «Mas será que se pode exigir que esse governo aguente os enxovalhos de gente que está ali apenas para boicotar? Até Cristo desistiu.»

 

Mas encontro, entre os Públicos que a minha irmã me traz, o seguinte artigo de Vasco Pulido Valente, que parece responder cabalmente ao desafio de Salles da Fonseca, (desafio que deve acudir a muitos de nós, sempre pendentes de um Dom Sebastião, mesmo envolto em neblina matinal), analisando a questão na sua dimensão específica, incriminando Cavaco e Costa, e aconselhando Passos e Portas, na medida do possível, para que se “descontraiam”. No fundo, na mesma linha de egoísmo a seguir exposta.

Berta Brás.jpg Berta Brás

 

Eles que se arranjem

Vasco Pulido Valente.png Vasco Pulido Valente

24/10/2015 - 05:09

Cavaco, apesar de quatro maiorias, nunca foi um bom político. Agora, por exemplo, começou por não antecipar as legislativas para Junho, com o propósito presumível de dar uma ajudinha a Passos. Não deu uma ajudinha que chegasse: Passos ficou em minoria e não pode governar. E Cavaco, que se paralisou a si próprio, tem de aturar a Assembleia que saiu do 4 de Outubro, por muito que ela o desgoste e meta medo. Pior: o Presidente pediu incessantemente uma aliança estável e duradoura entre o PS e o PSD e só há 15 dias percebeu que o ódio que pouco a pouco ia crescendo entre a esquerda e a direita impedia o mais vago compromisso ao centro. O que lhe apareceu no fim acabou por ser uma coligação do PS, do Bloco e do PC, que ele amplamente mereceu.

Anteontem indigitou Passos Coelho para primeiro-ministro, seguindo uma velha tradição do regime. Infelizmente, não ficou por aí. Já ganhara o que devia ganhar, transferindo para a Assembleia da República o odioso de afastar a direita. Não era preciso mais nada. Só que o Dr. Cavaco resolveu fazer uma cena de irritação e despeito: insultou a esquerda, tentou dividir o PS (uma ideia ridícula) e deu a entender que, se as coisas se estragassem, não se importava por aí além de deixar Passos Coelho nove meses pendurado num Governo de gestão. Doesse a quem doesse, evidentemente. Se Passos aceitar esta extravagância, comete um suicídio grotesco e parte o PSD aos bocadinhos. O que lhe convém é isolar Costa e a sua gente e assistir com tranquilidade ao desastre que eles vão criar. Nem bom dia, nem boa tarde, eles que se arranjem.

A solidão do bravo e coleante secretário-geral do PS e das magníficas criaturas que o empurram talvez não impressionem o português comum. Mas, sem dúvida, aquilo que faz falta ao português comum é conhecer à sua custa a nossa querida “esquerda” e a maneira como ela funciona. Os sound bites da televisão e a gritaria dos debates não chegam para conhecer em profundidade a natureza e a beleza de tão extraordinário bicho. Se conseguirem não se dirigir a esse bicho durante a oposição (que já começou), Passos Coelho e Paulo Portas irão inevitavelmente ganhar, quando o próximo Presidente da República acabar com a farsa que António Costa montou e que, no fundo, mais de metade dos portugueses desprezam.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D