Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

MANIPULAÇÃO EXPERIMENTAL

 

Os obstinados são isso mesmo: obstinados, teimosos, insistentes e mais o que os dicionários de sinónimos dirão. E quem é desta vez? Ora bem, os mesmos de sempre, os que querem mandar nos outros, os do «tira-te tu para me pôr eu».

A estratégia é sempre a mesma e, daí, ficar o gato escondido com o rabo de fora: cortar aos grandes o acesso às riquezas da Terra. Foi assim com o cerco soviético à Europa que em 1974 culminou com o 25 de Abril em Lisboa e, daí, a passagem do Império Português para a esfera soviética, é agora com a destabilização da América Latina para enfraquecer os EUA.

Mas desta vez pode haver uma mudança de «artistas» com os chineses a substituírem os russos. É que a Rússia tem petróleo e a China está ávida dele, especialmente o da Venezuela, antes que o Estreito de Ormuz fique intransitável. Assim, tudo se justifica para que o petróleo venezuelano deixe de ser exportado para o mundo ocidental e passa para a sua, chinesa, esfera de interesses.

E agora que tudo estava a correr às mil maravilhas com o norte de Moçambique «no papo» e com a América Latina em polvorosa, logo vem aquela chatice de Hong Kong… Só faltava agora que a «coisa» alastrasse a outras cidades chinesas com um Sindicato Livre qualquer ao estilo do «Solidariedade». A ver…

E estava eu nestas confabulações quando o Embaixador Francisco Henrique da Silva me envia um vídeo com o assalto e saque a uma igreja no Chile. Seguiu-se o diálogo que transcrevo:

Eu – Quem semeia ventos, colhe tempestades e a uma acção segue-se sempre uma reacção.

Embaixador - Pois tem toda a razão, (…) a uma acção segue-se uma reacção e quem brinca com o fogo queima-se. O certo é que na América Latina o rumo político é quase sempre incerto e as coisas mudam inopinadamente. A Argentina pode mudar para muito pior agora que os Kirchner voltam ao poder; o México prossegue uma via de esquerdização pela mão de um demagogo , que, aliás, conheci bem, AMLO; na Bolívia, Moralez teve de bater com a porta; na Venezuela, tudo como dantes, afinal, Maduro não cai de…maduro..; no Brasil, Bolsonaro, apesar da ondulação, aqui e além, agitada, mantém-se; no Equador, com alguns sobressaltos, a situação parece agora estar controlada; no Chile, o caos continua, com características anárquicas, como se vê. No céu, as nuvens acumulam-se, o que é que se segue é uma incógnita.

Eu - Muito obrigado, Senhor Embaixador! Não é todos os dias que sou beneficiado com um "tour d'horizont" tão elucidativo e sintético. Peço autorização para enquadrar a sua exposição em texto a publicar no "A bem da Nação".

Embaixador - Pode utilizar o texto como lhe aprouver. A minha intenção não era publicá-lo como está, pois é demasiado sintético, pouco analítico e teria de lhe dar alguns retoques, aqui e além. Mas se entender que é de publicar…esteja à vontade.

O rumo da América Latina, por razões históricas, políticas, económicas e sociais está em permanente redefinição e tanto se por esboçar no sentido de uma direita musculada como de uma esquerda demagógica. 

* * *

E a pergunta, agora, é: - E agora?

Dado que não sou Ministro dos Negócios Estrangeiros, posso especular e não definir uma política autónoma ou concertada com os demais países nossos aliados mas, para já, olho para a América Latina e vejo-a como o laboratório onde os gananciosos obstinados de um lado, do outro ou de todos, manipulam as experiências políticas que servem aos seus objectivos de subjugação dos povos desamparados e respectivas riquezas naturais.

Pobres países ricos!

Novembro de 2019

Dubrovnik-réveillon 2016-17 (1).jpg

Henrique Salles da Fonseca

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2004
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D