Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

INDOCHINA – 8

 

 

Da baía de Halong rumámos ao aeroporto de Hanói para voarmos até Danang, o centro do Vietname. Despedimo-nos então de um dos melhores guias turísticos que alguma vez tivemos: professor universitário, amável e despretensioso que, esquecia-me de contar, tinha feito o Serviço Militar Obrigatório durante a guerra com a China passando à disponibilidade com o posto de Capitão.

 

E que guerra foi essa? Um pouco envergonhado por não saber, tentei perguntar sem dar muito nas vistas mas acabei por ter que ir à Internet procurar. No dia seguinte àquele em que o Juan referira uma batalha perdida em que ele próprio participara, já me senti mais à-vontade para fazer perguntas.

 

A Guerra sino-vietnamita de 1979 durou só um mês, de 17 de Fevereiro a 16 de Março, com ambos os lados a cantarem vitória na certeza, porém, de que as forças chinesas retiraram do Vietname e as forças vietnamitas continuaram no Camboja para confirmarem o afastamento de Pol Pot.

 

Na origem do conflito estava a velha rivalidade entre a China e a URSS que apoiava o Vietname na expulsão do poder no Camboja do pró-chinés Pol Pot. Invadindo o Vietname, Pequim enviava um sinal claro a Moscovo de que não iria aceitar passivamente um aumento da influência do Partido Comunista da União Soviética numa área que a China considerava dentro da sua esfera de influência mas devem ter percebido que sai caro a quem se mete com os discípulos de Nguyen van Giap e retiraram estrategicamente de modo a não correrem o risco duma derrota que não pudessem ocultar. Assim, apregoaram urbi et orbe que tinham emboscado as forças vietnamitas num vale fronteiriço e regressaram rapidamente à China antes que os confrontos formais se transformassem nas acções de guerrilha em que os vietnamitas já se tinham especializado.

 

E, afinal, tinha sido precisamente nesse acontecimento que o «nosso» Juan participara como emboscado. Não há dúvida, o mundo é pequeno.

Guerra Vietname-China.jpg

 

Ao longo de toda a viagem, cruzei-me com outros participantes na guerra sino-vietnamita mas com ninguém que dissesse ter lutado contra os americanos. Os chineses continuam a ser os inimigos locais e não outros povos.

 

* * *

 

Danang é um dos tais nomes que sempre ouvíamos nos telejornais durante a guerra americana no Vietname pois era uma base aérea muito grande e relativamente próxima da fronteira (paralelo 17) com o então Vietname do Norte.

 

Vista do ar, à noite, é um espectáculo de luzes que nada tem a ver com a tristeza cinzenta que eu imaginava ser a cor dominante dum país que, afinal, já nada tem de comunista. Daí a uns dias, percorri de ponta a ponta uma avenida longuíssima e larga de três ou quatro faixas em cada sentido que tinha sido a pista dos aviões da tal base americana entretanto desmantelada.

 

Terá sido desta mesma base aérea que levantou voo o bombardeiro B52 que se despenhou quase intacto num dos 17 lagos de Hanói e cuja profusa aparelhagem electrónica os soviéticos se apressaram a vasculhar. E como esse lago é vizinho do palácio da Presidência vietnamita em cujos jardins se localizava a residência de Ho Chi Minh, este apanhou um enorme susto e decidiu passar-se para uma outra casa que dispunha de um túnel de fuga em cuja boca ele mandou instalar um catre para se poder esconder em qualquer momento. O Conselho de Ministros passou a reunir nos baixos dessa casa e ele acabou por morrer (de tuberculose, cancro de pulmão ou suicídio) nesse tal catre.

 

* * *

 

Hué à hora de ponta.JPG

 

O «mar» de motorizadas e motos é impressionante – com muitas completamente fora de mão como se isso fosse a coisa mais natural da vida – e se já hoje o trânsito é impraticável para qualquer estrangeiro, dá para imaginar o que será quando as motos e motorizadas se transformarem em automóveis. Creio que será o engarrafamento completo e então, sim, será possível um estrangeiro sentar-se ao volante de um carro... parado. Por enquanto, o forasteiro que se aventure apenas a atravessar uma rua «dançando» com o trânsito: terá emoção que baste, não precisa de mais nada para se sentir um glorioso vencedor das agruras deste mundo..

 

(continua)

 

Lisboa, 9 de Dezembro de 2014

Henrique frente à Presidência da República do V

Henrique Salles da Fonseca

(Hanói - Presidência da República)

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D