Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

INDOCHINA – 4

Henrique frente ao Mausiléu de Ho Chi Minh, Hanó 

O mausoléu de Ho Chi Minh situa-se no meio de grande alameda, junto ao palácio da Presidência da República (antiga residência do Governador Geral da Indochina francesa) e das casas que Ho Chi Minh habitou – situadas nos jardins do dito palácio – desde que assumiu a presidência do Vietname independente em 1946 até à sua morte em 1969.

 

Ho Chi Minh.jpg Nascido em 1890, foi-lhe dado o nome de Nguyen Sinh Cung sendo que, à semelhança do que acontece na cultura húngara, no Vietname o apelido aparece em primeiro lugar a que se seguem os nomes próprios. Nguyen é um apelido tão vulgar por lá como Silva o é por cá com a diferença de que ao Nguyen de lá o tratavam respeitosamente por «Tio» enquanto nós não chamamos isso ao Nguyen de cá.

 

Mas isto merece uma explicação pois o respeitinho é uma coisa muito bonita. Assim, qualquer homem solteiro é considerado rapaz e, portanto, é tratado pelo seu nome mas quando casa passa a ser tratado por «tio»; por «tio» são também tratados todos os homens a partir dos 40 anos e por «avô» a partir dos 60. Mas este último tratamento é reservado aos casados pois, sendo solteiro, fica «tio» até ao final da vida. Foi o caso do dito Nguyen de origem que adoptou o nome de Ho Chi Minh, “aquele que ilumina”, quando passou a liderar o movimento político que haveria de conduzir o Vietname à independência. Eis como se chegou ao tratamento de «Tio Ho», o que se manteve até ao final da sua vida pois que não se lhe conheceram mulheres e, portanto, nunca chegou às honras de «Avô».

 

E porque não se lhe conheceram mulheres, Ho não tomou por morada o palácio do antigo Governador Geral francês onde se sentiria muito isolado e preferiu residir numa casa situada nos jardins, mesmo ao lado daquelas em que permaneciam os soldados da sua escolta. Não ficou esclarecido – nem foi sequer perguntado – que tipo de aconchego atraía Ho.

 

Henrique em casa de Ho Chi Minh, Hanói.JPG 

Junto à casa do «Tio Ho»

Para quem, como eu, sempre ouviu dizer que as vietnamitas eram as mulheres mais bonitas do mundo, não deixa de ser estranha esta opção celibatária. Mas, sim, admito perfeitamente que Ho não tenha sido o primeiro nem sequer o último leigo a optar por soluções monacais.

 

E quanto a essa ideia que o meu Pai me transmitiu de as vietnamitas serem as mulheres mais bonitas do mundo, fez-me andar com os olhos sempre bem abertos para ter a certeza de que nenhuma beldade me escaparia mesmo que a luminosidade excessiva me pudesse sugerir algum destendimento das pálpebras. Tratarei do importante tema mais lá para as bandas do sul do Vietname.

 

Regressando ao «Tio Ho», oficialmente comunista mas contrário ao maoismo e apenas aliado dos soviéticos por razões estratégicas militares, queria ser cremado após a inevitável morte mas acabou por ser embalsamado e colocado no já referido mausoléu. É que a reencarnação budista se aplica apenas ao comum dos mortais de tal modo que se em vida a pessoa se porta bem, na vida seguinte subirá um patamar na qualidade de vida e na escala da santidade; se se porta mal, reserva-se-lhe a evolução descendente até que reencarne como um desprezível verme. Ora, rezava o senso comum no Partido do «Tio Ho» que tendo ele feito tanto bem a tanta gente em toda a Nação, só lhe poderia estar reservado o mais elevado patamar na escala da santidade em que o espírito é eterno e não mais reencarnável. Portanto, não seria necessário cremar o corpo para que o espírito dele se pudesse libertar totalmente e seguir na progressão das reencarnações; poderia ser embalsamado para que o espírito, querendo, nele se pudesse acolher eternamente e em paz numa ligação perene com o Ser Supremo.

 

Curiosa fundamentação teológica para um acto partidário comunista. Não imagino o Dr. Álvaro Cunhal a recorrer à Teologia para nacionalizar a banca nos idos de 70 do século passado.

 

(continua)

 

Lisboa, 5 de Dezembro de 2014

Henrique nos jardins de Hanói.jpg

Henrique Salles da Fonseca

(nos jardins de Hanói - artimanha para fotografar os militares, o que parece não ser do agrado das Autoridades vietnamitas)

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Henrique Salles da Fonseca 07.12.2014 18:33

    Lá irei diariamente, o que significa que ainda faltam quase 2 meses...
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Mais sobre mim

    foto do autor

    Sigam-me

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2014
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2013
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2012
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2011
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2010
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2009
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2008
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2007
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2006
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D
    209. 2005
    210. J
    211. F
    212. M
    213. A
    214. M
    215. J
    216. J
    217. A
    218. S
    219. O
    220. N
    221. D
    222. 2004
    223. J
    224. F
    225. M
    226. A
    227. M
    228. J
    229. J
    230. A
    231. S
    232. O
    233. N
    234. D