Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

INDOCHINA – 15

 

 

Borei Angkor Hotel.jpg

 

Disseram-me que o hotel de quase luxo em que ficámos em Siem Reap é propriedade do Presidente da Câmara da cidade. Perguntei então se ele é Presidente da Câmara porque é dono do hotel ou se é dono do hotel porque é Presidente da Câmara. Fingiram que não perceberam e disseram que ele tem vindo a inaugurar mais hotéis. Conclui eu que ele é dono do hotel porque é Presidente da Câmara e auto-licencia as suas iniciativas hoteleiras. De certeza que não é membro de nenhum dos Partidos que pertençam à Oposição ao Governo de Hun Sen. E porque é membro do Partido do Governo, é Presidente da Câmara e porque chefia a cidade, é dono daquele hotel. E dos outros que referiram...

 

Sim, o «negócio» cambojano é só para os amigos do khmer vermelho arrependido que protege alguns antigos camaradas de luta mas entrega outros a julgamento. Há que mudar alguma coisa para que tudo fique na mesma. Sim, nessa casta cambojana são todos iguais mas uns são mais iguais do que outros. Ou seja, o Camboja não é uma democracia mas sim uma nepocracia. Mais do que despótico, o regime é nepótico e as eleições uma farsa pegada.

 

Mas o hotel é bom e para um hóspede cansado isso é o mais importante.

 

O nosso guia por dois dias era farmacêutico formado em Cuba e por isso era fluente em espanhol. Como a Amélia é farmacêutica (mas formada em Lisboa), logo perguntou pela farmácia dele. E a resposta não se fez esperar: - Yo alquilo el nombre. Arrenda o nome para que oficialmente a farmácia tenha um responsável técnico mas não põe lá os pés e faz de guia turístico. Não ficou esclarecido se lá vai uma vez por mês para receber a renda, se esta lhe é paga anualmente ou se lhe fazem uma transferência bancária. Também se pode dar o caso de lhe pagarem em galinhas ou pílulas para a gota ou panarícios de que algum parente padeça. Só mentiras. Restou-me a convicção de que no Camboja tudo passa por soluções estranhas. Pudera! Depois de terem tido exemplos como os de Sihanouk e Pol Pot, quem perde tempo com a verdade?

 

Depois do predomínio do espanhol durante a viagem pelo Vietname e durante estes dois primeiros dias no Camboja, eis-nos a entrar no mundo do cruzeiro pelo Mékong em que a língua seria o inglês.

 

Nomes estranhos, o do Director do cruzeiro a quem passámos de imediato a chamar o Senhor Santola e o de um outro funcionário que por duas ou três vezes teve que dizer como se chamava para que eu o fixasse como Slot Machine ou Truman Capote. O que diriam eles dos nossos nomes?

 

O ponto de encontro para os preparativos em terra foi num hotel também de 5 estrelas de construção recente mas a imitar a arquitectura tropical do início do séc. XX. Lindíssimo, mais valem as fotos do que as conversas...

 

C-Hotel Votória, Siem Reap 2.JPG

 

C-Hotel Vitória, Siem Reap 1.JPG

 

Entregues os passaportes para os controles fundamentais, lá nos metemos em autocarros a caminho do «Javardão». Éramos uma centena de pândegos e deu logo para saber que havia um casal de velhotes australianos, que o Tarass Bulba e a mulher eram neo-zelandeses, que os alemães eram gays, os americanos eram altos e os suíços civilizadíssimos. Mas ao fim da tarde já deu para perceber que também havia um paralelipipédico casal mahori em que ela parecia um ele, uns casais alemães straight, uns americanos nem altos nem baixos, enfim, todos mortais e simpáticos.

 

(continua)

 

Lisboa, 20 de Dezembro de 2014

 

C-Henrique em Pnhom Penh.jpg

Henrique Salles da Fonseca

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D