Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

FREEDOM - 4

155000 ton dwt

15 decks acima da linha de água

9 metros de calado

4500 passageiros

1600 tripulantes

Pode não ser o maior navio de cruzeiros, mas é muito grande. Eis o «FREEDOM OF THE SEAS»!

Maior que este, só tinha visitado o portaviões americano «FORRESTAL» numa sua vinda ao Tejo.

Impressionante, o peso com que um conjunto de gotas de água aguenta!

* * *

Cruzeiro de Miami às Bahamas e volta com escalas em Cocobay e Nassau.

Ao zarparmos de Miami, notei a profusão de barcos da Polícia a apitar e a «correr» à nossa volta enquanto manobrávamos. Não passavam de «polícias de trânsito» pois que, também por ali, o sentido da liberdade tem que ser domado para não se transformar em caos e potencial tragédia. Será que aquele enxame de «Davids» imagina conseguir parar os dois «Golias» que nos encarreirávamos para o mar? Se na cidade assinalei um grande sentido de responsabilidade, aqui, na água, tive a sensação de que em terra todos eram responsáveis porque todos os irresponsáveis eram embarcadiços no porto.

Mar liso como mesa de bilhar. E assim seria até ao fim do passeio.

E, a propósito de passeios, faço agora uma breve resenha dos extremos por que já andei e dos povos que contactei entretanto: o ponto mais setentrional que já visitei foi o Cabo Norte no extremo norte da Noruega; o Cabo Horn foi o extremo sul da América do Sul; Alotau foi o ponto mais oriental no extremo leste da Papua Nova-Guiné; Santiago do Chile e Lima do Peru disputam o meu limite ocidental. Entre estes extremos, dá para imaginar que conheço muito mais do que Cacilhas e suas gentes. Pois bem, nunca vira mole tão ruidosa como esta «salada» de americanos eufóricos e latinos no seu ruidoso natural, nem nas manifestações de apoio ao Almirante Pinheiro de Azevedo.

Esta turba era ruidosa, mas ordeira. Eufórica, talvez, por este ser o cruzeiro da vida deles. E, então, deu para os ver com olhos de simpatia (apesar dos decibéis) ficando nós satisfeitos com a satisfação alheia. Mas, apesar disto, sou levado a pensar que o ruido e a intelectualidade variam em escalas inversas. Estimulantes à parte, o mesmo direi das latitudes e das altitudes. Conclusão: um intelectual norueguês que viva no cimo de um fiorde é um chato macambúzio e um favelado carioca delira com desfile no Sambódromo.

Outra particularidade que me anda a atazanar tem a ver com a velocidade estonteante com que certas pessoas falam. Algumas delas chegam a atirar a língua contra o palato com uma força tão grande que aquelas partes nem parece pertencerem-lhes. Os pioneiros do velocímetro linguístico que notei foram os madrilenos e admiti que tentassem recuperar o tempo perdido na «siesta» mantendo padrões europeus de produtividade, mas «castanholas» linguísticas são portuguesas e brasileiras. À falta de melhor explicação, creio que é apenas preocupação de dar nas vistas sem que lhes passe pelas cabeças que apenas conseguem irritar quem os ouve. Nesta viagem cruzei-me com acelerados linguísticos, mas não tive que aturar nenhum castanholeiro da fala.

Foi em Nassau que a guia deve ter batido todos os recordes de velocidade oral, Falou ininterruptamente numa velocidade estonteante durante as duas horas do circuito e admito que todos os bahamenses (ou bahamitas?) tenham ali caído de paraquedas poucos dias antes pois absolutamente nada nos foi dito sobre a História do País. Em Miami ainda passámos por uma estátua de Juan Ponce de León, mas nas Bahamas nem o pirata da perna de pau é referido. E o mais triste é que os turistas parece não estarem minimamente interessados em «velharias» da História. Como dizia o Embaixador americano em Londres quando o Lord lhe perguntou sobre a sua genealogia, «Ah sim! A minha genealogia começa comigo.»

(continua)

Janeiro de 2023

Henrique Salles da Fonseca

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2017
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2016
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2015
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2014
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2013
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2012
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2011
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2010
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2009
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2008
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2007
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2006
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2005
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D
  248. 2004
  249. J
  250. F
  251. M
  252. A
  253. M
  254. J
  255. J
  256. A
  257. S
  258. O
  259. N
  260. D