Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A bem da Nação

ENGOLIR OS SAPOS DO COMPANHEIRISMO NA IMORTALIDADE

 

Costumo ouvir as entrevistas a Marcelo, na TVI de domingo à noite. Geralmente dizem-se coisas sábias, chorei a valer com a notícia chocante, numa análise contida na emoção e revolta, dele e de José Alberto de Carvalho, acerca da perda que sofrera a sua entrevistadora anterior,  Judite de Sousa. Admiro a rapidez de raciocínio que Rebelo de Sousa demonstra nas entrevistas profusas em assuntos, com, ainda, o pormenor dos livros referenciados, mais as perguntas dos ouvintes, mais as coisas positivas que ele descobre neste país e que nos dão alegria… A minha mãe não o conseguia acompanhar nos raciocínios rápidos de quem tudo sabe e o dispara profusamente, e chamava-lhe “fala-barato”, mas era culpa sua por o não seguir.

 

Eu gosto geralmente do que diz, embora me assuste a rapidez do despacho dos assuntos, de quem tudo sabe e resolve, oráculo não tenebroso mas amistoso e isento.

 

  

Não foi assim no domingo passado. Falou de Cavaco Silva, contou-lhe a história, referiu o quanto Cavaco se distingue dos outros, por ter tido uma origem diferente dos outros presidentes, dos que viveram bem desde a nascença, que estudaram bem, sem dificuldades, pertenceram a umas elites que os projectaram…  Cavaco, ao que parece, nasceu  em Boliqueime, que não é sítio para o nascimento de um PR, e fez-se e conquistou um grande espaço de governação, numa presença teimosa, que não desiste de impor o seu parecer, com aplicação e coragem, apesar das críticas de que é alvo, num país mais dado às críticas do que a qualquer outro esforço de cooperação.

 

E  Marcelo, para demonstrar a teimosia “bovina”  de Cavaco, referiu uma cena caricata de um Cavaco que fez ginástica perante ele, Marcelo, para comprovar uma boa forma física, sinónima de uma boa forma espiritual, segundo os ditames clássicos da mens sana in corpore sano.

 

Não percebi bem a intenção de Marcelo, se era de elogio ou de riso a referência a um corpo ginasticado que nunca aparentou sê-lo.

Pareceu-me antes de riso, pela puerilidade, embora ao que parece, Marcelo também pratique os mergulhos no mar, como Sócrates as

corridas pelo mundo. Nunca a ginástica desfavoreceu ninguém, falo por experiência própria, corpo que vai enferrujando dolorosamente e preguiçosamente, por falta de exercício.

 

Não percebi o porquê do retrato de Cavaco feito por Marcelo, mais de desprestígio do que de bondade. De hipócrita suavidade, me pareceu. Para não lhe referir as proezas do não se deixar guiar pelos pareceres alheios, na política de exaltação que vivemos, o que provoca a indignação dos mais directos atacantes, defensores das sopas e descanso para ele, Marcelo preferiu citar a questão do exibicionismo muscular de Cavaco, a demarcar-se de maneira original das críticas dos outros àquele, e a preparar a sua mente sana, para um dia ter o seu retrato pendurado ao lado de um natural de Boliqueime, por muito corpum sanum que este tenha.

 

 Berta Brás

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2004
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D