Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

DAVID DE SOUZA

 David de Souza-CD

 

Quem procurar por David de Souza na Internet vai deparar com um fotógrafo brasileiro e com mais não sei quantas personalidades importantíssimas de apelido Desouza mas a biografia do nosso compositor prima pela ausência. Fora ele espanhol e não haveria terrinha andaluza ou estremenha que não lhe pusesse nome em rua…

 

Mas nós somos assim: ingratos; não queremos saber dos nossos ilustres.

 

Seremos isso?

 

Não! Somos apenas ignorantes!

 

Então, quem foi o nosso David de Souza?

 

Foi um compositor de música erudita. Se fosse pimba ou de rock

 

Nascido em 6 de Maio de 1880 na Figueira da Foz, realizou os seus estudos musicais no Conservatório Nacional de Lisboa onde frequentou as classes de violoncelo e de teoria musical; em 1901, bolseiro do Estado, foi estudar violoncelo para o Conservatório de Leipzig; em 1913 estreou-se como chefe de orquestra em Portugal num concerto no Teatro Nacional e passou logo de seguida a Maestro Titular da recém-constituída Orquestra Sinfónica de Lisboa; em 1916 passou também a exercer o cargo de professor das disciplinas de violoncelo e de regência de orquestra no Conservatório Nacional. Faleceu na Figueira da Foz em 1918 vitimado pela gripe pneumónica.

 

Na sua obra, eminentemente nacionalista, figuram composições para piano, canto e piano, violino e piano e violoncelo e piano para além de um bom número de obras para grande orquestra, nomeadamente a “Rapsódia Eslava” e o Poema Sinfónico “Babilónia”; ainda hoje se encontra inédita a sua ópera “Inês de Castro”.

 

Pois é! David de Souza foi um compositor brilhante que nos deixou músicas muito agradáveis de ouvir e que depois de um longuíssimo silêncio, volta agora a poder ser escutado pois o Maestro António Ferreira foi desencantar as partituras que deviam estar fechadas a sete chaves nalgum baú esquecido numa cave escura.

 

Então, acompanhem-me primeiro ao YouTube: é lá que encontramos várias peças deste Autor em gravações actuais, todas interpretadas pelo Maestro António Ferreira ao piano, pela soprano Ana Leonor Pereira e pelo violoncelista Pedro Neves: concentrem-se nas melodias para ficarem com uma ideia da qualidade do Autor. Tenho a certeza de que me vão dar razão quando digo que se trata de um conjunto de músicas que se ouvem com muito agrado. De seguida façam justiça aos intérpretes reconhecendo que merecem o nosso aplauso.

 

http://www.youtube.com/watch?v=9vnrVJJOXnY

http://www.youtube.com/watch?v=yEq107Gl3ik

http://www.youtube.com/watch?v=RZ9xtrLbQ-8

 

Mas se quiserem ter uma ideia mais precisa da qualidade do compositor e dos intérpretes, então acompanhem-me ouvindo o CD que a Câmara Municipal e o Casino da Figueira da Foz patrocinaram homenageando David de Souza. Obtive-o há menos de 24 horas e já o ouvi 4 vezes. De cada vez gostei mais do que na anterior e vou continuar… No CD, a qualidade da gravação ultrapassa largamente o som permitido pelo YouTube pelo que acabamos percebendo detalhes que nos vídeos não notamos. E aqui já podemos apreciar melhor o trabalho dos intérpretes. Veludo, é a ideia que me ocorre. Ana Leonor Pereira tem sublimes agudos em pianíssimo e Pedro Neves delicia-nos com o violoncelo que pertenceu ao compositor. E por mais que me digam que o piano apenas acompanhou, todos sabemos que as mãos são as do Maestro que tudo produziu.

 

Fico sem saber se dar os parabéns aos intérpretes e patrocinadores ou se lhes agradecer com um sincero obrigado. Faço as duas coisas: PARABÉNS e OBRIGADO!

 

Porto Santo-MAI15-B.jpg

Henrique Salles da Fonseca

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D