Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

COINCIDÊNCIAS

 

Assisti há dias a uma conversa entre amigos que não se viam há muito tempo, que registo. Egídio Madariaga hoje residente nos EUA, onde tem família, tem por hábito e salutar prática visitar o velho Portugal, de tempos a tempos. Este meu amigo deixou Portugal em 1953, tinha ele – e eu também – 26 anos. A nossa amizade vinha do Colégio Militar que ambos cursámos entre 1939/45. Egídio formou-se no IST de Lisboa, e decidiu continuar os seus estudos nos EUA. Então, para surpresa sua, o seu pedido de passaporte não teve resposta. Passou uma semana, outra e nada. Renovou o pedido e obteve o mesmo resultado – silêncio. Como o manda-chuva dos passaportes no tempo, coronel de Artilharia Monteiro Libório, personagem de perfil prussiano então muito visto nas fotos de eventos oficiais, era camarada de armas de seu pai, meteu o pai no assunto e este lá lhe arranjou uma entrevista (audiência, como então respeitosamente se dizia). Libório explicou-lhe que o país não se podia dar ao luxo de deixar sair licenciados para continuarem estudos no estrangeiro, onde provavelmente se radicariam. O Estado português tinha investido largamente na educação deles e esperava que eles viessem a reforçar e melhorar o nível da força de trabalho nacional. Egídio contra-argumentou como pôde e por fim conseguiu dobrar a esquina mediante promessa solene de que voltaria ao país terminados os seus estudos na América. "Isso obrigou-me a estudar toda a vida", diz ele ironicamente.

 

Todos riram e alguém comentou:

 

- Pois, mas há que reconhecer que o Libório tinha razão.

 

Surpreendido Egídio indaga:

 

- Porquê? Por causa do dinheiro que a minha educação custou ao Estado?

 

- Não, respondeu o interlocutor. Isso são ninharias de contabilista. Onde ele tinha razão foi quando te lembrou que o país precisa de cada um de nós e nós precisamos do país.

 

- Eu não! Exclama Egídio. Para chegar onde cheguei só precisei de mim.

 

- Pois, mas os solitários atingem um ponto em que ficam ilhados, ainda que, por vezes, confortavelmente ilhados. Sozinhos não podem prosseguir.

 

 

***

 

 

Curiosamente à hora em que esta conversa se passava – e segundo a imprensa –, a milhares de milhas de distância, em Maputo, Christine Lagarde, dirigindo-se aos governantes moçambicanos lembrou-lhes "se queres ir depressa vai sozinho; se queres ir longe junta-ta aos demais".

 

Curiosa coincidência.

 29 de Maio de 2014

  Luís Soares de Oliveira  

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D