Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

CLAUSURA – 2

Ilibado que ficou Putin no meu escrito anterior de qualquer maldade no processo pandémico em curso, esperemos pela pancada quando isto passar e ele quiser lembrar-nos de que existe. Mas, entretanto, nós, as vítimas inocentes do flagelo, assistimos ao ping-pong das culpas estaminais entre a China e os EUA. Quem, neste processo, nunca pecou, que atire a primeira pedra. Pois bem, somos todos os espalhados pelo mundo menos aqueles dois. Só nos falta saber qual dos dois apedrejar.

Nesta guerra do empurra, os mais activos são, como de costume, os esquerdistas que chegam mesmo a levar à dúvida quem, prevenido, não abocanharia as suas cenouras. Uma das «coisas» que veio agora à ribalta foi um vídeo de 2015 em que Bill Gates previne a respectiva audiência do perigo que representaria um vírus que por aí viria e a todos apanharia desprevenidos. Curiosamente, em 1981 foi publicada uma novela de Dean Koontz intitulada «OS OLHOS DA ESCURIDÃO»[i] em que o Autor especula, no âmbito da ficção científica, essa mesma hipótese de um vírus que assolasse o mundo desprevenido. E, das duas, uma: ou ele estava dentro dos segredos de algum laboratório mais ou menos maligno que estivesse a trabalhar num vírus desse calibre e arriscaria a própria cabeça ao pôr a boca no trombone ou era apenas uma ficção que acertou «na mouche» 39 anos depois. Ora, o Autor está vivo no momento em que escrevo estas linhas pelo que é fácil concluir nada de temeroso ter revelado pois fizera apenas uma especulação. Seria interessante perguntar a Bill Gates – e eu não o farei apesar de ter o endereço da respectiva Fundação[ii] – se leu o dito livro e se ali se inspirara para a palestra de 2015. Pela mesma razão, também o famoso Bill poria a cabeça em risco se delatasse algum segredo de tal calibre. Nova especulação e, neste caso, se não revelada a fonte, plágio.

Portanto, tudo mentira quanto à autoria americana da perversão inicial.  Os pró-chineses vão ter que engendrar nova balela.

Antes desta, era a dos soldados americanos que, afinal, não comeram o pangolim que por lá andou a envenenar chineses residentes a grande distância de Pequim e mais longe ainda de Xangai onde nada acontece. Pois é: curiosamente, só há virose longe dos grandes chefes comunistas e dos maiores capitalistas chineses.

Nestas últimas horas, vi outro vídeo em que certas Autoridades americanas (cuja identidade não consegui verificar) anunciavam a detenção de um cientista que vendera o vírus aos chineses. Não faltará quem agora diga que foram os americanos os causadores da desgraça. Ao que eu respondo que se se tratava de um caso de espionagem chinesa e de traição de um americano, este deverá pagar pela traição mas os chineses é que terão libertado a «besta» sendo, portanto, eles, os grandes causadores da pandemia.

Venham novos argumentos contra os americanos porque estes não me convencem. Daqui por 30 ou 40 anos talvez se venha a saber a verdade sobre quem atirou a tal primeira pedra pelo que, agora, desligo-me dessa polémica e passo a outros temas. O mundo que gire lá fora que eu fico aqui em clausura à espera que a tormenta passe. Só porque não lhes dou hospedaria, deve haver milhões de vírus que morrem sós e abandonados - este, o meu contributo para a causa da Humanidade.

 (continua)

Abril de 2020

Henrique Salles da Fonseca

 

[i] - «THE EYES OF DARKNESS» - Dean Koontz

[ii] - https://www.gatesfoundation.org/

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2004
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D