Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

BALBÚCIOS E TRISMOS

 

Desengane-se quem pensa que os tribunos da esquerda – depois da débâcle a que nos conduziram – se limitam a balbúcios e apenas se contorcem em trismos populistas. Não, eles não hesitam na retoma das suas grandes parangonas que travestem de alguma dignidade «pour épater les bourgeois» ou talvez mesmo «pour les tromper».

 

Por exemplo, insistem na criação de milhares de empregos pelo relançamento do consumo que têm como motor do desenvolvimento. Mas numa economia aberta com fraca produção instalada, isso só pode provocar a derrocada dos saldos externos, nomeadamente da Balança de Bens. O Turismo – serviço transacionável por excelência – não é suficiente para compensar a nossa tradicional e enorme (se não mesmo recordista internacional) propensão marginal à importação.

 

GEE-Taxa de Cobertura da Balança de Bens e Servi

 

Já bastaram experiências de modelos errados que nos levaram por três vezes a estender a mão à caridade internacional. E, mesmo assim, essa caridade vence juros.

 

A produção de bens e serviços transacionáveis, sim, é o modelo de desenvolvimento em que temos que apostar e os Bancos terão que ser penalizados pelo Banco de Portugal se não cumprirem um máximo de endividamento sobre os mercados interbancários de 50% dos seus capitais próprios.

 

E nós, os que acreditamos no modelo produtivo, não temos o direito de nos ficarmos por balbúcios e trismos.

 

Agosto de 2015

 

Eu, Barril-8AGO15-2.jpg 

Henrique Salles da Fonseca

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D