Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

AREIAS DO GUADIANA

Espanha nunca aceitou de bom grado a conquista portuguesa do Algarve com base numa herança de um avoengo qualquer

. Mas a «uti possidetis» vingou por antecipação à inclusão dessa figura (posse efectiva de uma região) no Direito Internacional e o Algarve é português e ponto final na discussão.

Contudo, durante o Consulado Pombalino, correram ruimores de que os espanhóis se preparavam para tomar conta de toda a foz do Guadiana. E o Marquês mandou construir à pressa uma cidade sobre as areias da nossa margem do Guadiana. Chamou-lhe Vila Real de Santo António e mandou os habitantes de Monte Gordo transferirem-se para a nova cidade. As hesitações foram dirimidas com espingardas apontadas às costas.

Antes desta tomada de posse pela força, aquelas areias na margem direita do Guadiana eram esparsamente ocupadas por choupanas de pescadores que tanto podiam ser portugueses como não. Eram transfronteiriços e viviam onde melhor lhes aprouvesse. As areias eram conhecidas por «arenillas» (areiazinhas), nome que, uma vez aportuguesado, se transformou em «arenilhas». Mas o povo logo se encarregou de deitar a baixo o «e» e o nome do local passou a ser Arnilhas.

Nome bem mais apropriado que Vila Real de Santo António que ali foi pespegado por Decreto, não por sentimento. E o sentimento é tal que os vila-realenses ainda hoje se auto denominam arnilhas.

Bem seria que as placas toponímicas nas entradas da cidade ostentassem essa designação entre parênteses por baixo do nome oficial.

Setembro de 2020

Henrique Salles da Fonseca

FONTE – José Pedro Queioga, Tavira

6 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D