Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

ARÁBIA FELIX – 9

 

Já faz alguns anos quando, passeando pelo Nordeste brasileiro, cruzei uma localidade que não consegui levar muito a sério por causa do nome que algum pândego lhe fez aprovar: Itapipoca. Bem sei que «ita» significa «pedra» nas línguas tupi-guarani (?) mas a «pipoca» tira-lhe condição para entrar com um mínimo de prosápia na Academia Brasileira de Geografia.

 

O mesmo se passou agora quando me preparava para arribar a Salalah (صَلَالَة) mas tenho que dar a mão à palmatória pois que ela foi a capital do Sultanato até 1970 quando Qaboos se mudou para Mascate (a hora e meia de avião) com a sua corte e, o mesmo é dizer, com o Governo.

 

No último recenseamento (2010), tinha cerca de 160 mil residentes mas a guerra no Iémen fechou a fronteira que dista curtos (estrada boa) 170 km e, vai daí, falhou a vocação de grande cidade fronteiriça. Resta uma abertura não garantida na fronteira de Al Mazyunah a relativamente longos (estrada assim-assim, segundo me disseram) 258 km.

 

Mas o interland salalaiano tem petróleo em abundância e é também a região onde existem as «florestas» de Pittosporum undulatum que produzem o muito valioso incenso. Não nos referiram se também há ouro ou mirra mas fiquei a matutar se os Reis Magos não seriam omanitas. Aceito sugestões alternativas.

 

É também naquela região que se faz a criação extensiva de camelos de corrida e é na cidade que se localiza a única fábrica de cimento do país. E, claro está, é também lá que funciona a refinaria de petróleo que abastece o consumo interno. Ou seja, a cidade mexe e, não se expandindo em altura, tem avenidas largas e condomínios algo misteriosos com muros a trás dos quais se avistam casas que devem ser boas à séria.

 

Omã-árvore do incenso.jpg

Admito que o incenso possa ser um bom negócio mas a «floresta» que nos foi mostrada, dá uma ideia muito sui generis

 

E como se sabe da geografia económica, um interior desenvolvido implica quase sempre um litoral desenvolvido (o vice-versa não é garantido), a cidade tem no porto marítimo a sua grande motivação.

 

Omã-praia de Salalah.jpg

Praia da Salalah - o turismo está a crescer e a costa é aprazível já que o interior…

 

E tudo isto, sem contar com S. Joaquim que esse, no estado fúnebre em que se encontra, não se importa nem se exporta.

 

Tudo visto e gozado, zarpámos pela hora de jantar rumo à pirataria.

 

(continua)

 

Abril de 2019

Omã-praia de Salalah-2.jpg

Henrique Salles da Fonseca

(praia de Salalah)

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D