Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

ARÁBIA FELIX – 16

 

Regressados, não nos pararam na Alfândega da Zona Franca e chegámos a Aqaba já estava o Sol posto. Foi-nos, então, proporcionada uma volta pela cidade que à noite é muito mais bonita do que de dia. Não nos apeámos do autocarro e seguimos para o barco; eram horas de jantar e o pessoal de bordo tem direito a que os passageiros não se atrasem muito.

 

Estávamos a jantar quando vimos as luzes de Eilat a mexerem-se de um lado para o outro do janelão do restaurante. Zarpávamos para fazermos o périplo da Península do Sinal, nos lançarmos pelo Canal de Suez além e abandonarmos as Arábias por Port Saïd rumo ao Pireu.

 

Foi durante a minha noite dormente que passámos frente a Sharm El Sheik que eu já conheço vista do ar num espectáculo fabuloso de luzes, tornejámos o cabo Ra’s Muhammad, extremo Sul do Sinal e rumámos a Norte.

 

Península do Sinai.png

 

Amanheceu um pouco antes da entrada do Canal de Suez e coube-nos liderar um comboio de alguns navios que pretendiam o mesmo que nós, subir o Canal. Vindo de Eilat, o nosso companheiro «Costa» alinhou a trás de nós; depois dele, vários cargueiros que perdi de vista lá para trás. Pena, pena, foi termos perdido as vistas do Golfo do Suez; mas não se pode ter tudo, paciência.

 

E, uma vez entrados no Canal, eis-nos com terra à vista de ambos os lados. E que vimos? Muito!

 

Linha verde Canal de Suez.jpg

 

Parece pouco mas é muito: uma linha verde contínua, paralela à costa, autêntica barreira de contenção do deserto. E isto, em ambas as margens. Perante o clima local, a linha no Sinai só pode ser mantida à custa de água dessalinizada enquanto a do lado africano ainda posso admitir que venha do Nilo. Virá? De qualquer modo, é uma obra magnífica seja ela com água daqui ou dali. E desde já faço notar que estas linhas se mantiveram ininterruptamente, apesar das obras, cidades e outras ocorrências que entretanto acontecem de permeio. Parece pouco? Talvez pareça, mas a mim pareceu-me muito e bom. Outras linhas se lhes seguirão e o futuro está por ali definido como uma luta titânica contra o deserto. E digo deserto, não digo desertificação porque naquelas paragens não é possível desertificar mais a Natureza que já o é plenamente; a mudança aponta no sentido da des-desertificação, da verdificação. É evidente que muito está por fazer mas o caminho está por ali traçado e é com esperança que vejo o Egipto a olhar para a frente.

 

Oxalá o verde chegue a tempo de ocupar os radicais muçulmanos e de os distrair do ócio e das ideias abstrusas a que o deserto os tem condenado.

 

(continua)

Abril de 2019

155-Canal de Suez 4.JPG

 

Henrique Salles da Fonseca

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2004
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D