Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

LA POITRINE DE MADAME

 

 

Pessoa claramente afável mas cerimoniosa, ao General ninguém conhecia um apurado sentido de humor. Em certas pessoas inspirava mesmo sentimentos de inveja que resultavam das formidáveis capacidades que revelava na prática desportiva – um desporto tipicamente militar, hipismo na modalidade de salto de obstáculos – porque nas competições internacionais em que participou ao longo de vários decénios fez muitas vezes subir no mastro de honra a bandeira de Portugal.

 

O respeito que inspirava era muito grande não só pelas qualidades competitivas que demonstrava mas também pelo facto de muitos lhe reconhecermos finura de raciocínio muito para além da actividade desportiva. E não éramos só nós, os do meio hípico, que lhe reconhecíamos qualidades especiais: não foi por acaso que chegou a General quando tantos outros se ficaram pelo caminho das promoções.

 

Para o conjunto cavalo-cavaleiro se manter em forma, é imprescindível um treino permanente e a participação em provas nacionais é um modo fundamental para a preparação das provas internacionais. Se a esta realidade juntarmos os regulamentos federativos que obrigam à obtenção de certas classificações nacionais para se conseguir ser membro da equipa representante do país, dá para imaginar que, ao longo da vida desportiva, o General e sua augusta esposa se tenham hospedado mais em hotéis do que dormido tranquilamente em casa.

 

Toda esta ciranda implicava uma intensa militância social e o General – sempre acompanhado da esposa – não se fazia rogado em corresponder a todos os desafios que apareciam: a Câmara Municipal oferecia um jantar aos participantes no Concurso Hípico e o General lá estava; o grupo dos cavaleiros concorrentes decidia ir à praia e o General tomava banho como os demais; à cerimónia oficial de distribuição de prémios o General não podia faltar pois era sempre um dos grandes vencedores…

 

No grupo de cirandantes havia gente de toda a espécie: altos, baixos, gordos, magros, ricos, pobretanas, riquíssimos, falidos, sóbrios, alcoólicos, introvertidos, extrovertidos, tímidos e exibicionistas, solteiros, casados com mulheres bonitas ou feias e também os havia noutros estados civis.

 

O General e sua esposa eram bons companheiros, sim, mas sempre cerimoniosos. E todos fazíamos cerimónia com eles.

 

Sucede que a especialmente bonita mulher de um dos cavaleiros das provas menores decidiu certa vez apresentar-se em monoquini na piscina do hotel em que todos se encontravam hospedados com base no argumento de que o médico lhe tinha receitado banhos de Sol …

                       

Paul Gauguin – “A mulher do rei”

 

Quando o General e sua esposa chegaram à piscina já a dona da muito prestimosa figura se encontrava reclinada a cumprir a receita médica só que se colocara numa posição que implicava que todos os demais tivessem que passar entre a berma da piscina e a sua chaise-longue. Ou porque não havia outro local para a madame se instalar ou porque ela queria ter a certeza de que todos a admirariam, o que é certo é que o General não hesitou em lhe dispensar um profuso cumprimento matinal com evidente prazer perante a paisagem exibida. Mas o General tinha nas mãos os sacos, saquinhos, toalhas e saquetas que a esposa lhe pedira para segurar a fim de ela própria passar pelo estreito caminho entre a berma da piscina e a senhora exposta e eis que o General se atrapalha com os cumprimentos, se desequilibra e, com as mãos super-ocupadas, cai de cara em cheio sobre o peito da senhora largando sacos, toalhas e saquetas por tudo quanto era sítio nas redondezas da chaise-longue.

 

Impávida, a madame sorriu dizendo que não tinha importância e o General lá se soergueu, arrebanhou os pertences que espalhara, enfiou um sorriso desculposo e nada mais se lembrou de fazer do que esfregar um joelho fingindo que se magoara na queda. Mas como não tinha as mãos livres, lá espalhou novamente os sacos e saquetas trazendo sempre mais para a ribalta uma cena que ele bem gostaria que tivesse passado despercebida.

 

Dizem as más-línguas que a inveja que o General concitava passou a acumular com a pena alheia de nunca terem conseguido esfregar a cara na bela poitrine daquela Madame.

 

 Henrique Salles da Fonseca

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D