Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A bem da Nação

LEONOR TELES

 

 

Leonor Teles uma das mais fortes mulheres que Portugal teve no trono.

Mandava e desmandava, conspirou, mentiu, traiu, quis entregar Portugal a Castela, colocou em todos os pontos-chave do país homens da sua família, e... Dom Fernando... olhava!

E acabou dando origem à primeira revolta popular da história de Portugal.

 

CARONYQUA D’ELLREI DOM FERNANDO

 

O noveno Rey de Portugal he dom Fernãodo, filho legítimo do Trajano da justiça, Rey Dom Pedro. Foi este Rei mui gramde casador: dezia que não dezejava outra couza mais que ter em Samtarem hûa rua de fallcõis; nûca trazia de simcoêta fallcõis a baixo.

 

EllRei Dom Fernãodo estava comcertado pera casar com hûa filha d’EllRei d’Aragão; e era já ido o Comde de Barcelos com muito grãde tesouro, asim pera trazer a Rainha, como pera trazer gênte pera a guerra; e estamdo lá o Comde ordenãodo estas cousas, veio-se e deixou tudo; e afirmava-se EllRei o mãodou vir polla emformação que lhe derão da filha d’EllRei ser mui disforme.

 

Em tempo d’EllRei Dom Affõso quarto e d’EllRei Dom Pedro seu filho, não avia em Portugal mays de hû só Comdado, o qual se chamava de Barcelos; e este Comdado deu EllRei Dom Pedro a Dom João Tellos de Menezes; e este ouve hû yrmão Martim Affõnso Tello o qual houve dous filhos e tres filhas Dona Maria Tellez e outra Dona Lianor Tellez, molher que foi de João Lourêço da Cunha, Senhor do morgado de Pombeiro.

 

E reinamdo asim EllRei graciozamête, mãocebo e ledo, omem de prol, trazia sua jrmam Dona Breitis, filha que fora de Dona Ynes de Crasto e d’EllRei Dom Pedro seu padre, com gramde casa de Donas, porque non avia Rainha nem Ymfamte em Portugal. E por afeiçam comtenuada muito veo a nacer em elle tal desejo de a aver por mulher, que de­terminou em sua vomtade casar com ella, cousa que nuca fora visto, propoemdo haver despemsasam: eram as fallas amtre elles muito ameude, e abrasavão-se, e beijavão-se, e já de sua virgimdade avia má sospeita; e em esto veo-se tratar casamãto com EllRei Dom Emrrique (de Castela) por fazerem as pazes.

 

Estamdo EllRei em Lixboa, veo á Corte Dona Lianor Tellez, molher deste João Loureço da Cunha, por espasar com sua yrmam Dona Maria, que amdava em casa da Ymfamta;

 

e EllRei vemdo-a asym lousam e gracyosa,

 

leixado tudo, desta se veo a namorar muito maravilhosamête; e neste tempo João Loureço mãodou chamar esta sua molher, de que já tinha hú filho que chamavão Allvaro da Cunha; e quamdo EllRei o soube ficou muy enojado, e determinou de o descobrir a sua irmã Dona Maria, rogamdo-lhe muito que fizese com sua jrmam se não fose, e que se fizese doemte, e que lhe certefycava que sua vomtade era avella por mulher, amtes que quamtas filhas de Reis avia no mudo, e Dona Maria lhe respomdeo por muitas rezois; mas EllRei estava prezo damor e nom sesava com promesas, e sempre Dona Maria o tirava diso sem aproveitar: e ouve ella de fallar isto com sua jrmam Dona Líanor Telles, acordaram de o dizer a seu tio o Comde; e dito, elle se foi a EllRei pollo tirar diso, e menos aprovei­tou. Quamdo já viram a vomtade d’EllReí tam aficada busquaram maneira pera a quitar do marido por via de cunhadio, que levemête se acha, e mais amtre gemte fidallga, posto que João Lourêço ouvera despemçasão: mas vedo que lhe não comvinha aquella demãda com EllRei, deyxou-a e foise pera Castella: e afirma-se que primeiro que EllRei dormise com ella a recebeo por mulher.

 

Sabido ysto pollo povo ajumtarão-se três ou quatro mil homês, e forão-se ao paço com gramde allvoroço: levarão comsiguo Allvaro Vasquez Allfãge, homem muito homrrado; e Ell­Rei, quamdo soube que aquellas gemtes alli estavam, mãodou-Ihes pergumtar que era o que lhe prazia, e a que eram vimdos: e Fernâo Vás respomdeo em nome de todos, que EllRei seu Senhor tomara por molher, a Dona Lianor Tellez, molher de João Loureço da Cunha; e que, por quamto ysto não era serviço de Deos, nem bem do povo, que tal não havia de comcemtir; mas que tomase por molher a filha d’EllRei, e não húa má molher que o tinha emfeitiçado. EllRei tornou a respomder que lhes agardecia muito aquello que faziam, que o faziam como bõs Portugeses; e que ella não era sua molher, nem Deos tal quereria; mas por quãto ao prezemte lhes não podia faltar, que fosem a outro dia a Sam Domimguos com Fernão Vás; estamdo aguardamdo por EllRei aomde avia dir ouvir misa, e lhe fallarião: e asim se partiram, jurãodo to­dos que se EllRei a não partise que lha tirariam por força. Ao outro dia polia menham forão loguo jumtos em Sam Domimgos com Fernão Vaz, e estamdo aguardamdo por EllRei, souberão como EllRei se fora escomdido com Dona Lianor; e hia dizemdo EllRei: Olhai aquelles villãos tredores como se ajumtárâo: certamente, premder-me queriam se lla fora. E a dita Dona Lianor, receamdo que os povos a fizecem tirar d’EllRei, tinha maneira como focem castigados os primcipaes destes allvoroços; e fez castigar e matar a este Fernão Vaz, e decepar muitas mãos a muitos, e asim outras mortes.

 

EllRei foi-se follgamdo pollo Reino até amtre Doiro e Minho a hú Moesteiro que se chama Lesa, e fez hú dia ajumtar toda a gemte, e recebeo nelle per pallavras de prezemte a Dona Lianor por molher, e fez-lhe beijar a mão a todos por Rai­nha, e todos lha beijaram; e o Ymfãte Dom João foi o primeiro que lha beijou: porem, o Ymfãte Dom Denis não lha quis bei­jar, ãtes dise que lha beijase ella a elle, pello qual EllRei lhe quis dar com húa adagua pollo rosto, senão fora tido; pollo qual oYmfamte Dom Denis se foi pêra Castella, e o Ymfàmte Dom João que era maior ficou muito amado d’EllRei seu jrmão e da Rainha. E deu EllRei loguo á Rainha estes Lugares Villa Visoza, Abramtes, Allmada, Cimtra, Torres Vedras, Allamquer, Atouguia, Óbidos, Aveiro, o Regemguo de Saquavem, Friellas, Unhos, a terra de Meirelles, Ribadoiro: e dalli em diamte foi chamada Rainha de Portugal.

 

EllRei davase mais ás couzas de follgar que ás que compria ao Reino: estamdo hú dia em comcelho deixo-o, é foi-se á casa, do qual os do comcelho foram mui emvergonhados; e vimdo elle ao outro dia ao comcelho foi mui repremdido, e hú delles lhe dixe em nome de todos: Senhor por mercê vos pedimos que tenhais outra maneira daqui em diâte, senão. . . Como senão, dixe EllRei, alla fee, dixe elle, senão busquaremos outro que reine sobre nós.

 

Esta Rainha ao tempo que casou com este Rei era em fresca ydade, e de mui bom corpo, e mui gracioso gesto, e em todo era húa molher mui perfeita, asim em fermozura, como em gracioza e de mui doce falia, imda que em allgúas era sollta nom onestamête; era de mui vivo emtemdimêto, e comdiçam forra, e precurava muito por fortellecer seu estado; e fez seus jrmãos dous que tinha, a saber, Dom João Affôso Tello Allmiramte, e Gõçallo Tellez fez Côde de Viana; e a dous fi­lhos de seu tio, o Cõde Dom João Afõso Tello, a hú fez fa­zer Comde de Viana, e a outro Comde de Barcellos; e fez fa­zer Comde de Cea a Dom Emrrique seu cunhado, e a Dom Allvaro Perez de Crasto fez Comde de Raiollos; e fez dar o Mestrado de Sam Tiaguo a Dom Fernãodo Affõso d’Allbuquerque, que era jmão das molheres de seus jrmãos; e fez dar e Mestrado de Crystos a seu sobrinho, filho de sua jrmam, ao qual chamavão Dom Lopo Dias: e fez poer todas milhores milhores fortallezas do Reino nos que eram de sua linhagem; e fez ou­tros casamétos muitos de suas parentas; e asim soube fortallecer, que todo o que ella maõdava se fazia. E neste anno de mil e quatrocêtos que EllRei recebeo por mulher Dona Lianor Tellez, filha de Martim Affõso Tello de Dona Alldomça de Vascomcellos.

 

Rio de Janeiro, 13/03/2013

 

 Francisco Gomes de Amorim

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D