Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A bem da Nação

ARRANCA O ESTATUÁRIO

 

Uma vez mais La Fontaine

Revela um saber de humanista

Ao interpretar como fabulista

Moralista,

Os mitos de antigamente

Como é exemplo a fábula seguinte

De um escultor receoso

Da sua estátua de um deus tenebroso

Ou do próprio Pigmalião

Apaixonado pela sua Galateia

O que não nos devia espantar, todavia,

Pois o amor é quase sempre anomalia,

Como já aprendemos com Adão,

Que até sofreu amputação

Para amar a sua Eva em harmonia.

Todavia a fantasia

Que redunda em tragédia hoje em dia,

Não tem perdão.

 

 

 

«O estatuário e a estátua de Júpiter»

 

Um bloco de mármore era tão belo

Que um estatuário

Não pôde deixar de comprá-lo.

“Que fará dele o meu cinzel? – disse ele,

Será um deus, uma mesa ou uma bacia

De uma fonte de água fria?

“Será um deus: eu mesmo quero

Que tenha na mão um trovão.

Humanos! Votos fazei:

Eis o senhor da terra! Tremei!”

O artífice tão bem exprimiu

O carácter do seu ídolo

Que toda a gente considerou

Que a Júpiter não faltava nada

A não ser a palavra articulada.

Até se disse que o operário

Mal a imagem concluiu,

Do seu imaginário,

Foi o primeiro a estremecer

E a própria obra temer.

À fraqueza do escultor

Em nada o poeta ficou a dever,

Receando a cólera e o ódio

Dos deuses, de que foi o inventor.

Ele era criança nisto assim:

As crianças têm a alma ocupada

Na cruel preocupação

De que a sua boneca não seja estragada

Para nenhum fim.

O coração segue o espírito facilmente:

Desta corrente é nado

O erro pagão que se vê

Em tantos povos espalhado.

Eles acalentavam violentamente

Os interesses da sua quimera.

Pigmalião tornou-se amante

Da Vénus de quem foi criador.

Cada um, cá da galera,

Vira o mais possível

Os seus sonhos em realidades

De forma terrível:

O homem é de gelo ante as verdades

É de fogo para as falsidades.

 

E aqui estamos nós,

Parados no tempo, expectantes,

Ouvindo verdades de uns e de outros,

Pedantes, bem falantes, estridentes,

Talvez por mentiras mais que evidentes,

Relevantes,

Em ondas sucessivas de aldrabices

De sacanices,

Vindas de muito detrás,

De engravatados ou bem fardados,

Que assim vão passando aos vindoiros,

Sem desdoiros ,

A nossa falta de qualidade

Para a eternidade.

 

 Berta Brás

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D