Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A bem da Nação

SOBREVIVÊNCIA

 

 

La Fontaine bem sabia

Que o mais que este mundo tem

É discórdia,

Quer seja nos casamentos,

Entre casais ciumentos,

Quer seja nos parlamentos,

Aqui mais por aleivosia

Se não ciúme também,

Que vivemos dia após dia.

E assim foi relembrar

Como erudito que era,

Mais uma quimera

Da mitologia,

A que fizera

A Discórdia distinguir,

Entre as deusas principais,

Vénus , a grega Afrodite,

Como merecedora

Do pomo dos Imortais,

Por ser mais bela

Que Atena ou Hera

Segundo ela.

Essa razão

O mundo incendiou

Da Grécia e de Tróia.

Dando a Páris Helena,

De Menelau mulher,

De muito bom parecer,

O qual se vingou,

Com seu irmão

Agamemnon…

Vejamos então:

 

«A Discórdia»

Tendo a deusa Discórdia no Olimpo

Armado disputa,

E por causa de uma maçã provocado

Questão inaudita,

Fizeram-na desalojar dos céus,

Santo Deus!

Junto do animal chamado homem,

Em grandes apertos

De ajuntamentos,

Foi recebida de braços abertos,

Ela e Que-sim-que-não seu irmão

Com O-Teu-e-O-Meu seu pai.

Ela nos deu a honra, neste baixo universo,

De preferir o nosso hemisfério

Ao dos mortais que nos são opostos,

Que vivem na selva:

Gentes grosseiras, pouco civilizadas,

E que, casando-se sem sacerdote ou notário,

De Discórdia não entendem nada,

(Segundo o mito do Bom Selvagem

Que lhes atribui bondade e coragem

E que Rousseau definirá com mais requinte

No século seguinte).

Para se encontrar a Discórdia

Nos sítios onde a necessidade

Ordenava que ela fosse presente,

A Fama tinha o encargo

De a avisar; e a outra, diligente,

Corria depressa aos debates para a paz preceder;

Duma centelha

Fazia fogueira

Difícil de apagar.

A Fama, enfim, começou a queixar-se

A melindrar-se,

Que nunca da Discórdia encontrava

Morada fixa e certa.

Muitas vezes, a procurá-la,

Perdia tempo danado.

Era preciso pois que esta tivesse

Um poiso determinado,

Um poiso donde se pudesse,

Em todas as famílias,

Enviá-la em dia fixo.

Como não havia então convento de irmãzinhas

Educadinhas,

Foi com dificuldade que um poiso se achou.

O albergue enfim do Himeneu

Foi o sítio onde ficou.

 

A impressão daqui resultante

É que La Fontaine atribui somente

Às dissensões familiares

Os efeito perverso

Duma Discórdia mitológica

Exemplificada

Na guerra de Tróia,

Resultante

Dum casamento

Temporariamente desfeito

O que foi muito malfeito.

É verdade que também no nosso tempo

Tais questões, sem reverso,

Enlameiam a nossa sociedade

A cada passo.

Mas a Discórdia está de tal modo espalhada

Quer escrita quer verbalizada,

Para além, evidentemente,

Da física, generalizada,

Que esta via mitológica

É forma neurológica

Estereotipada,

E bastante pertinente

- Enfim,

Pelo menos para mim -

De ultrapassar um pouco

O horror que vivemos

De nos não entendermos

Para mais sempre acompanhados

Como La Fontaine salientou,

Do Que-Sim-Que-Não, nosso irmão,

D’O Teu E O Meu, nosso pai.

Amigos, e assim nos vai.

 

 Berta Brás

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D