Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A bem da Nação

ALEXANDRE DE GUSMÃO

 

Para o Senhor Arcebispo de Braga


Sereníssimo Senhor:

 

Com grande mágoa do meu coração, vou participar a Vossa Alteza que, havendo-se noticiado a El-Rei o inter­dito que V. A. mandou impor na cidade do Porto e seus subúrbios, somente com o pretexto de não haver cumprido o Provisor daquele bispado os mandados do Vigário-Geral de Braga, expedidos em nome de V. A., e as instâncias da Irmandade dos Terceiros Dominicanos com os frades da mesma ordem, está El-Rei tão enfadado com este terrível acontecimento, e tão sensivelmente magoado de que V. A. o fabricasse, que quis romper logo em passar rigorosas e providenciais ordens, que obrigassem V. A. a levantar imediatamente o interdito, e em pôr em sossego os mora­dores daquela cidade.

 

Estas reais ordens, Senhor, haviam inquietar a V. A., obrigando-o a declarar publicamente o desacerto com que tem usado dos direitos e regalias da sua Igreja bracarense. Para El-Rei mais sentir, sucede este facto estando ainda frescas as memórias das fúteis e indignas discórdias suce­didas pelo estribeiro e ministros de V. A. contra os cóne­gos da sua catedral, com o que, meu Senhor, agora acres­ceram novos motivos de desgostar-se El-Rei, sendo-lhe este mais sensível, visto que as discórdias com o seu Cabido inquietavam uma corporação particular; e o inter­dito perturba e desordena a corporação dos povos de uma das mais populosas, e das primeiras cidades do Reino.

 

Desta fatal desordem, o que escandaliza mais a El-Rei, é o impedir-se aos povos o exercício público da religião, cujo escandaloso procedimento lhe tem parecido, e aos seus ministros actuais, muito próprio dos séculos da ignorância e da barbaridade. Em tão funesta situação, muito desgostoso eu de ouvir censurar indecorosamente as acções de V. A., e ponderando as perigosas consequên­cias do interdito, me abalancei a sacrificar-me por V. A., pedindo a El-Rei quisesse confiar-me o honroso trabalho de diligenciar o levantamento do interdito.

 

Benigno me ouviu Sua Majestade, e logo me honrou com a mercê pedida, a qual atribuí aos influxos do real sangue que liga a V. A. com sua augustíssima pessoa; o que o mesmo Senhor tem em lembrança, apesar de tantos desgostos. Mas, Senhor, eu na verdade assevero a V. A. que totalmente me confundo, quando considero no empenho a que me arrojei entre o meu Soberano e V. A. Sereníssima! Valha-me a protecção da Igreja, pela parte que tem neste meu sacrifício, ainda que seja feito em benefício de V. A.

 

Senhor, eu estou bem persuadido de ter dado muitas provais a V. A. de que venero, amo e respeito a sua sere­níssima pessoa; animado com esta certeza, rogo a V. A. por tudo quanto lhe mereço queira dignar-se de fazer levan­tar logo aquele funesto interdito, dando para esse fim as ordens necessárias sem a menor perda de tempo, não esperando atenção nem obediência da parte do Sr. Bispo do Porto, nem dos seus ministros; logo que V. A. passar as ordens, se dignará participar a EI-Rei essa notícia, pela Secretaria de Estado dos Negócios do Reino. Repito outra vez a lembrança de toda a brevidade possível, a fim de que os povos daquela cidade do Porto e seus subúrbios sejam imediatamente restituídos ao seu antecedente sos­sego e livre exercício da religião.

 

Assim o espero da bon­dade, virtudes e religião de V. A.; finalmente, que me honre com os seus preceitos, e favoreça com a sua santa bênção. Deus guarde a V. A. por muitos e felizes anos.

 

Lisboa, no Paço, a 4 de Outubro de 1743.

 

Beija as mãos de V. A. com a maior submissão, e mais obsequioso respeito.

 

Alexandre de Gusmão

 

Nota:

O Arcebispo era o infante D. José de Bragança ou José Carlos de Bragança, meio irmão do rei D. João V, filho ilegítimo do rei Pedro II, de uma relação que este manteve com Francisca Clara da Silva. Filha de um tanoeiro mas «gente limpa de sangue, prezada de formosa». Foram ela e sua mãe à audiência do Rei e se queixarem de um homem que lhe não queria cumprir a palavra que lhe tinha dado de casamento...

 

 Francisco Gomes de Amorim

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D