Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

Uma notícia por dia - 22 de Outubro

"Jornal de Notícias"

Medidas para combater dependência face ao petróleo serão apresentadas em Novembro


OGoverno ponderou a hipótese de recorrer à energia nuclear como forma de reduzir a dependência do país face ao petróleo. No entanto, o Executivo acabou por recuar e a medida não consta do relatório ontem apresentado ao Conselho de Ministros pelo ministro das Actividades Económicas, composto por uma série de iniciativas que visam justamente reduzir a dependência da economia face àquela matéria-prima.

Ao que o JN apurou, em cima da mesa esteve ainda a possibilidade de ser relançado o projecto da barragem de Foz Côa para aumentar a produção hidroeléctrica, mas o facto de a zona estar parcialmente "na alçada" da UNESCO por causa das gravuras rupestres, assim como a possibilidade de vir a ser construída a barragem do Sabor, levaram a que também esta hipótese não tenha sido incluída no documento final.

O relatório, discutido ontem pelo Governo e que dará origem a uma resolução a ser aprovada nas próximas semanas e conhecida até ao final de Novembro, aponta como metas, até 2010, a redução em 20% do peso do petróleo no balanço energético nacional (de 62 para 42%), a quebra em 20% da intensidade energética do Produto Interno Bruto, assim como a diminuição em 15% da factura energética (que rondou os quatro mil milhões de euros em 2003).

O documento, cuja elaboração foi coordenada por Álvaro Barreto, mas que contou com contributos dos titulares das Cidades, Agricultura, Obras Públicas, Ambiente e Ciência, retoma várias propostas da Política Energética do anterior Governo.

Esse documento, baseado numa resolução do Conselho de Ministros, elencava uma série de propostas assente em três objectivos essenciais: segurança do abastecimento nacional, fomento do desenvolvimento sustentável e promoção da competitividade da economia.

Entre as 40 medidas previstas, reafirmava-se a necessidade de diversificar as fontes energéticas e de aproveitar os recursos endógenos, de forma a alcançar o objectivo de, até 2010, produzir 39% da electricidade com base em energias renováveis. O documento apostava ainda no avanço da liberalização dos combustíveis, do gás natural e electricidade.

O JN tentou, sem sucesso, questionar o Ministério das Actividades Económicas sobre as opções equacionadas e as previstas no relatório de Álvaro Barreto.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2004
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D