Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

NUMA VÉSPERA DE NATAL...

 

 

Foto: arquivo particular da autora

 

 

Era noite, véspera de Natal. A chuva caíra de repente, molhando as pessoas, alagando ruas e calçadas. O chão virou um caleidoscópio, espelho quebrado das luzes das vitrines e postes iluminados. Surpreendido pela queda d’água, ligeiro, procurei o abrigo da marquise de uma loja de brinquedos, já fechada, em frente à praça. Ajeitei-me, protegendo os presentes que levava para as crianças.

 

O movimento de transeuntes e carros rareava. Só o ruído do gotejar das grossas gotas d’água quebrava o silêncio da noite que avançava. Foi quando de repente, surgindo do nada, apareceu um homem. Chegou devagar, paletó com gola levantada, mãos nos bolsos, cabeça descoberta, roupas e cabeleira molhadas. Andava indiferente à chuva que o maltratava. Alheio à minha presença, se acomodou no exíguo espaço. Puxou um cigarro, procurou os fósforos nos bolsos do casaco. Como não os achou, após um momento de imobilidade, pedi-os a mim. Acendeu o cigarro, e só depois da primeira baforada, longa como um desabafo, me devolveu os fósforos, com um ligeiro aceno de agradecimento.

 

A enxurrada lavava as ruas. Na praça, ao lado da Igreja, sobre a grama, um grande presépio iluminado lembrava de quem era o aniversário. Foi então que a vitrine, repleta de bonecas, carrinhos, bolas e jogos, lhe chamou atenção. Os brinquedos expostos, mudos e imóveis, esperavam que o toque de alguma criança, na magia do faz de conta, lhes dessem vida e alegria. O olhar tornou-se distante, absorto. E como se falasse consigo mesmo, disse sem esperar resposta;

Já reparou que todo o adulto gosta de brinquedos? Que temos dentro de nós uma criança que não cresce? Quem não dá um chute numa bola que vê rolar até seus pés? Que mulher que não gosta de fazer comidinhas e roupinhas para a boneca de sua filha? Há até aquelas que cuidam dos filhos como bonecos fossem! Já reparou que gostamos de trabalhar naquilo que brincávamos na infância? Brincamos com os nossos filhos, às vezes com mais prazer que eles mesmos! Talvez seja por isso que quando adultos continuemos a fazer com massa, desta vez mais dura, esculturas, de bronze, de granito, de gesso... Ou então a construir casas de madeira, de pedra, ou cimento,...

E você o que faz? Tem filhos? Perguntou de chofre, dando outra baforada.

-Sou piloto, tenho dois filhos... falei reticente. E antes que eu pudesse interrogá-lo, estendeu a não para fora da marquise para avaliar a intensidade da chuva, tornou a levantar a gola do casaco, e adivinhando a minha curiosidade, disse, voltando ao caminho; eu sou um consertador de bonecas e hoje não pude salvar uma para seus pais.

 

Ao ver o desconhecido desaparecer entre as alamedas da praça, após parar por uns instantes em frente ao presépio, percebi que fugia de uma tristeza, que seu coração chorava por uma boneca perdida... Tive então certeza: ele era um médico de crianças.

Ainda fiquei ali, mais uns minutos, imóvel, esperando a chuva passar. Até que ansioso, lancei-me à rua, tinha pressa em chegar a casa e aos meus filhos abraçar.

 

 Maria Eduarda Fagundes

Uberaba, 07/12/2012

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D