Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A bem da Nação

PRIMEIROS REPUBLICANOS DE ALCOBAÇA

 

 

Nos finais do séc. XIX e nos primórdios do século XX surgiu, na então Vila de Alcobaça e nas suas freguesias concelhias, um núcleo fortemente imbuído de ideais republicanos que pretendia implantá-los no País, sobretudo após a intentona de 31 de Janeiro no Porto.

Em vésperas do I Centenário da Proclamação da República em Portugal, aos 05.10.1910, sou levado a supor que nenhum português poderá ficar indiferente a essa efeméride que, com seus altos e baixos, perdurou 100 anos.

 

Implantado o regime político, os fautores da República deram à Nação uma Constituição que tem sofrido sucessivas e periódicas beliscaduras ao sabor dos políticos, com outras ainda previstas para os próximos meses.

 

Em Alcobaça, o 5 DE OUTUBRO DE 1910 foi calorosamente saudado pelo povo sob a batuta das cabeças pensantes da sociedade civil cisterciense. Como a História nunca desmente os factos, mas só os aprecia na sua balança, tanto a fundação do Partido Republicano (1873) como a malograda intentona do Porto (1891), haviam contribuído para a formação do núcleo republicano em Alcobaça acima mencionado.

 

Urge, portanto, não deixar de apontar aqui os nomes dos proto-republicanos com seus dados biográficos sumariados, sem qualquer intuito de ferir as susceptibilidades seja de quem for.

 

Com essas premissas, vão em seguida apontadas essas individualidades. Ei-las numa arrumação da sua senioridade:

          

 - JOSÉ EDUARDO RAPOSO DE MAGALHÃES (1844/1942). Era natural da Vila de Alcobaça, frequentara as Faculdades de Filosofia e Matemática em Coimbra, mas fora diplomar-se em Lisboa como Engenheiro Militar. Em Alcobaça dedicara-se à agricultura com certo sucesso e paixão. Os fautores da República nomearam-no o 1º Governador Civil do Distrito de Leiria;

          

- JOÃO CUPERTINO RIBEIRO (1846). Oriundo de Pataias e formado pela Escola Médica de Lisboa, evidenciara-se como um distinto perito nos domínios de neurologia e psiquiatria. Fora um ferrenho político republicano que participara na 1ª Vereação Republicana de Lisboa;

           

- AMÉRICO LOPES DE OLIVEIRA (1878/1954). Foi um apreciado jornalista, pintor e político republicano. Era natural de Alcobaça e formado pela Escola Comercial de Lisboa e pela Escola Nacional das Belas Artes (Pintura). Fora um dos fautores da 1ª República e Co-Fundador dum semanário – O REPUBLICANO, de Alcobaça - juntamente com Raul Proença, além de dois outros jornais políticos em Lisboa. O citado jornal O REPUBLICANO fora um grande paladino dos ideais da República em terras de Alcobaça;

             

- J. CUPERTINO RIBEIRO (s.d.). Conseguira fazer-se eleito Deputado à Constituinte pelo Círculo de Alcobaça (Junho/1911) e, mais tarde, passara a ocupar um assento no Senado da República (1914). Consta que era natural de Pataias;

              

- JOÃO EMÍLIO RAPOSO DE MAGALHÃES (1884/1961). Nascido em Alcobaça, formara-se em Filosofia (1907) e Medicina (1910), sendo depois designado Professor Catedrático em Coimbra onde regeu a cadeira de Patologia Cirúrgica até 1917. Foi um homem notável que exerceu vários e importantes cargos como os de Administrador da SACOR, da Seguradora FIDELIDADE e do Banco de Portugal. Diz-se que ele fora um autêntico democrata e um convicto republicano.

  

Não me ocorrem à mente outros proto-republicanos cistercienses, pelo que dou por terminado este breve apontamento histórico, já que outros assuntos em mãos exigem minha atenção imediata dada a precariedade de vida nessa fase de adiantado nonagenário.

 

Alcobaça, 04.10. 2010                                               

 

 

DOMINGOS JOSÉ SOARES REBELO            

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D