Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

ENTRE A GRANDEZA, A EUFORIA E A MENTIRA!

 

  (*)

 

Não há dúvida de que o Brasil vive momentos de grande euforia. E de grandeza. Euforia (do grego euphoria – força para aguentar) e esta “grandeza” convém esclarecer que é grande, enorme, desmedida, a vergonha, os compadrios, as burlas, a corrupção, e o total desprezo pela justiça. Nisto é que está a sua grandeza!

 

CPIs criam-se muitas, mas levam anos e anos para acabarem arquivadas, esquecidas e/ou os seus canalhas ilibados.

 

Agora fala-se muito numa retumbante CPI envolvendo um monte, sim, um monte de senadores, deputados, governadores e outros quejandos que, através dum “bicheiro” (os donos do “ilegal” jogo do bicho que não precisam prestar contas ao fisco!) têm levado biliões em superfacturamentos, lobbys, e outras manobras de enriquecimento vertiginoso.

 

Mas já se antevê que tudo acabe em pizza porque o indiciado bicheiro e mais o seu compadre senador, detém dossiers completos de
cada congressista que, em teoria, os irá questionar. E como tal... quem se aventurar a tentar entalar o compadre vai ter toda a sua vida colocada em vitrina de luxo, e passar “mocinho a bandido”!

 

Mas não há grande perigo, até porque ambas as casas, câmara de deputados e senado federal, para evitar mais lavar de roupa suja, nojenta, decidiram acabar com os respectivos conselhos de ética! Ética para quê? Para complicar a vida deles próprios? Jamais.

 

Há pouco mais de um mês o glorioso eminente e eterno senador josé marimbondo, deu declarações (04 de Abril), justificando a medida e dando as razões que a motivaram: “Olha, me pareceu o melhor a se fazer, porque todo mundo está mesmo pendurado. Quem não está pendurado na justiça, está pendurado pelos dossiers que os pares possuem. Aí resulta que nunca conseguimos preencher as vagas. Ademais, ninguém se sente a vontade julgando um par. Realmente, quem somos nós para julgar? Aquela coisa de jogar a primeira pedra e tal. Se o suplicante for do partido do suplicado, então todos declinam alegando conflitos. Era uma dor de cabeça só.... E se por nada fosse, é a primeira vez, depois de oito mandatos, que eu vejo unanimidade nas duas casas!”

 

Que brilhante raciocínio! Que integridade. Que moral!

 

Mas isto ainda é pouco. Não há nem uma semana o outro eminentíssimo sapo barbudo, que ainda se julga (e em boa parte é) dono cá do
pedaço, chantageou um juiz do SUPREMO Tribunal Federal, para que fosse adiado o julgamento do famoso caso do “Mensalão” que foi uma das maiores escroquerias do seu mandato, e que ele “nunca viu nada”! ”Era melhor esperar mais uma ano”; disse o super honoris causa de todo o mundo, ex-presidente deste maravilhoso país, que enriqueceu loucamente, deixou a família milionária e mais os seus correligionários! Porquê esperar mais um ano? Porque há dois juízes que passam à aposentadoria e os novos... talvez possam lá ser colocados por ele, ou melhor ainda caducar o prazo.

 

Isto é a esculhambação total. O chamado fim da macacada! A imoralidade oficializada.

 

Como soam cada vez mais alto as palavras de De Gaulle!!!

 

Entretanto os planos do governo são espantosos:

 

- como o PIB no primeiro trimestre não cresceu nem 0,5%, após o cantar de galo do governo afirmando que em 2012 iria crescer 5%, a saída encontrada foi baixar alguns impostos de carros, geladeiras e material de construção, e aumentar o crédito ao consumidor!!!! Maravilha de governação.

 

Um carro que custava 50, agora fica baratíssimo... só 48,5! Um dos pequenos poréns é que há algumas centenas de milhares de carros
encalhados nos parques das montadoras e das distribuidoras, e as vendas, este ano baixaram mais de 15%.

 

Segundo estudos a família brasileira já tem mais de 25% dos seus proventos comprometidos com dívidas. Assim, deixam de pagar as prestações do que compraram e também não há quem compre carros usados. Muitos nem conseguem já “oferecer” o carro desde que o novo dono pague as restantes prestações. A inadimplência aumenta de mês para mês (o último foi de 5%)!

 

- Para ajudar, a Bolsa de Valores já perdeu 15% nos últimos 12 meses e os investidores estrangeiros estão levando a carroça para outras
bandas.

 

- As perspectivas de “voltar a enriquecer” com as exportações é negra porque o mercado mundial está todo ele nas encolhas.

 

Solução: investimento em infraestruturas. Mas pobre Brasil: no último ano não investiu mais do que 0,4% do PIB.

 

Então na educação: pior ainda. É grande o analfabetismo daqueles que “completaram” o ensino básico!

 

Solução? A curto prazo ninguém consegue enxergar. Mais longe, quando os pts conseguirem largar a mamata, e para o governo entrar gente capaz.

 

Mas quando? Deus que é brasileiro deve saber quando. Mas só Ele.

 

Também só Ele sabe quem anda a roubar notas fresquinhas, mesmo dentro da Casa da Moeda. Para quê corromper se ali a fonte é imaculada! Mas roubou pouco... está ferrado. Se muito... aparecerá senador!

 

 

Rio de Janeiro, 31/05/2012

 

 Francisco Gomes de Amorim

 

(*) The Economist

5 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2007
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2006
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D
  248. 2005
  249. J
  250. F
  251. M
  252. A
  253. M
  254. J
  255. J
  256. A
  257. S
  258. O
  259. N
  260. D
  261. 2004
  262. J
  263. F
  264. M
  265. A
  266. M
  267. J
  268. J
  269. A
  270. S
  271. O
  272. N
  273. D