Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

HISTÓRIAS DO BRASIL

 

Desde há uns quantos anos que venho combatendo, ou me embatendo, com muitas mentiras históricas do Brasil, desde o famoso Zumbi dos Palmares, que ninguém sabe se é peça da história ou da ficção, ao Leonel Brizola, e até à actual presidente.

 

Apareceu agora um livro, muito bem escrito, texto alegre e descontraído, que desmistifica uma série de “heróis” e ao mesmo tempo ajuda a salvar a honra de outros que têm sido considerados por fracos, vagabundos, ladrões, assassinos, etc.

 

Lembro entre esses muitos livros que se têm escrito, e distribuído largamente, de alguns que são verdadeiras pérolas de semente de conflitos, como a História dos Povos Indígenas – 500 anos de luta no Brasil, editado pelo Conselho Indigenista Missionário, um órgão vinculado à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil -CNBB. Neste livro os índios que foram, ninguém sabe quantos, em 1500, hoje estariam reduzidos a uns poucos milhares, culpa, primeiros dos portugueses e a seguir dos “brancos”!

 

Uma vergonha de livro, sobretudo saído da CNBB que deveria promover o entendimento entre todos os povos, pagãos ou não!

 

O livro que rectifica e desmistifica muito da História do Brasil, escrito por um jornalista, extremamente bem documentado, chama-se Guia Politicamente Incorrecto da História do Brasil

 

O autor, um jovem de 32 anos enfrentou, com coragem e sem concessões, o status quo existente, Leandro Narloch.

 

Um livro INDISPENSÁVEL para quem se interessa por história sem lendas – como o milagre de Ourique e outros quejandos – e que deveria ser OBRIGATÓRIO em todo o nível de ensino no Brasil.

 

Editora Leya
(www.leya.com)

 

Vale a pena. Muito.

 

Rio de Janeiro, 23/10/2011

 

 Francisco Gomes de Amorim

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D