Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

ÁGUA VS ENERGIA: UM DILEMA OU UMA TOLICE

(*)

 

 

O trabalho apresentado hoje (20FEV12) no DN sobre “O estado do ambiente!” inclui um artigo sobre a barragem do Tua que me chamou a atenção para, mais uma vez, ser essencial analisar a questão que é: a gestão da água das barragens ser realizada pelos responsáveis pela energia em vez de o ser pelos responsáveis pela água.

 

Para começar vejamos o que se passa com essa água, o que é fácil pois ela vem da chuva que cai no nosso território.

 

Se nos dermos ao trabalho de analisar os registos da pluviosidade ao longo das últimas décadas pode concluir-se o seguinte:

 

1º - O volume de água anual é suficiente para as nossas necessidades de for devidamente capturada;

 

2º - Há enorme irregularidade quer ao longo de cada ano quer ao longo dos anos;

 

3º - Há também irregularidades do ponto de vista geográfico.

 

Daqui se pode inferir que, para garantir a segurança do abastecimento de água ao País, terá que ser feita a sua gestão abrangendo períodos da ordem dos dez anos e nunca de dois ou três e além disto ter mais albufeiras menores e interligadas de forma a diminuir os impactos ambientais provocados pelas grandes albufeiras e poder controlar mais eficazmente os riscos das cheias. Com a vantagem adicional de ter albufeiras de reserva alimentadas nos períodos de elevada pluviosidade sem custos de consumo de energia.

 

(**)

 

Muitas destas barragens serão propícias para a produção de energia e para a utilização na cobertura de pontas e aqui chegamos ao ponto crítico atrás levantado: quem deve ser responsável pela gestão da água?

 

A água é o bem mais importante para a vida em geral e para a humana em particular e a sua origem principal é a chuva.

 

A energia é essencial à vida de uma sociedade mas a sua produção é possível de várias fontes a saber: combustíveis (lenha, carvão, gás natural, petróleo), eólica, solar, geotérmica, ondas e marés, hídrica (barragens), nuclear, para focar apenas as principais.

 

Em Portugal, quanto a combustíveis, os mais importantes têm que ser importados e são produtores de CO2, as ondas e marés são insignificantes, a geotérmica situada nos Açores, e ficamos aqui apenas com a eólica, com a solar, com a hídrica e a nuclear (para a qual temos matéria prima).

 

Ora sendo a energia um factor essencial da competitividade de um país, teria sido uma prática de gestão excelente pelos responsáveis portugueses privilegiarem as fontes que nos poupassem importações o que implicaria também cuidar do ordenamento do território e dos sistemas de transportes de forma a minimizar a necessidade de utilizar combustíveis.

 

Curiosamente, combateu-se o nuclear com base em preconceitos e pretensos cuidados ambientais mas não temos os mesmos cuidados nem com as barragens nem com o ordenamento, e os resultados vão aparecendo com a dimensão conhecida.

 

Com a agravante de, se alguma vez faltar a tão essencial água, os actuais responsáveis pela sua gestão não poderem ser de facto responsabilizados porque o planeamento das barragens é feito por outros, cujo objectivo é outro.

 

Por isso o título se justifica: será um dilema real ou “apenas” mais uma tolice?

 

Lisboa, 20 de Fevereiro de 2012

 

 José Carlos Gonçalves Viana

 

Publicado no DN em 15 de Março de 2012

 

(*)http://www.google.pt/imgres?q=cani%C3%A7ada+barragem&um=1&hl=pt-PT&sa=N&biw=1024&bih=735&tbm=isch&tbnid=pOpSGHS81lZVGM:&imgrefurl=http://www.portugal-on-line.com/gallery/album_showpage.forum%3Fpic_id%3D36%26vote%3Dviewresult&docid=Xq-eG3dBAcm3PM&imgurl=http://r29.imgfast.net/users/2912/20/58/91/album/dscf6411.jpg&w=448&h=336&ei=gyxwT5XUAqiu0QXj582NAg&zoom=1&iact=hc&vpx=90&vpy=279&dur=2496&hovh=194&hovw=259&tx=148&ty=91&sig=109573699884915906692&page=1&tbnh=122&tbnw=163&start=0&ndsp=20&ved=1t:429,r:5,s:0

 

(**)http://www.google.pt/imgres?q=linhas%2Bde%2Balta%2Btens%C3%A3o&um=1&hl=pt-PT&biw=1024&bih=735&tbm=isch&tbnid=q4cGi9ntxTmw2M:&imgrefurl=http://maisalenquer.blogspot.com/2011/08/linha-de-alta-tensao-carregado-rio.html&docid=mGyhnoRVHiiijM&imgurl=https://1.bp.blogspot.com/-lmyh2sC47oY/TlPq4HuA3UI/AAAAAAAACM8/fwoE7t4rzVo/s1600/Linhas-de-alta-Tensao-de-Transmissao-de-Energia-450-338.jpg&w=450&h=338&ei=4ixwT6nAL6PF0QXH7LiOAg&zoom=1&iact=hc&vpx=115&vpy=211&dur=4691&hovh=194&hovw=259&tx=150&ty=119&sig=109573699884915906692&page=1&tbnh=144&tbnw=213&start=0&ndsp=14&ved=1t:429,r:0,s:0

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2007
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2006
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2005
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2004
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D