Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

ARGENTINA – 7

 

 DE PASSEIO

   

E como era antes da Internet?

 

É claro que todos nós sabíamos com maior ou menor precisão o que relatei nas crónicas anteriores mas, se não fosse a Wikipédia, eu não seria capaz de referir datas tão precisas nem números tão concretos.

 

Fique o mérito a quem de direito e o proveito a nós, os que nos aproveitámos de tantos conhecimentos.

 

O peso da História, senti-o um pouco por toda a parte e por certo que saboreei mais a cidade do que alguns daqueles outros turistas que comigo andaram em certos circuitos standardizados a quem ouvi comentários sobre temas bem diversos dos que me iam passando pela cabeça. Nada tenho contra os profissionais da bola cujos desafios equiparo a bafordos mas recuso-me a tomar em consideração o que sobre o país possam pensar os “Beladonas” e outros «heróis» marados do chuto. Mas mesmo assim tive que ir ver a «Bombonera»(felizmente só por fora), o estádio do Boca Juniores.
 
É claro que na minha terra também só conheço os estádios de futebol pelo lado de fora.
 
 https://video.search.yahoo.com/search/video?fr=yfp-t&p=Marta+argueritch#id=1&vid=89cf04b977d80aaef27aa9a56d2841bb&action=click
 
Mas como facilmente se imagina, Buenos Aires é muito mais interessante do que aquilo que não nos interessa. As dimensões imperiais da Avenida 9 de Julho, o recuperado e interessantíssimo Caminito, Puerto Madero no que ele foi e no que ele é, a Plaza de Mayo e as suas «abuelas» inconformadas, o cemitério de la Recoleta e o jazigo da Família Duarte em que se encontram os restos de Eva Perón, o Teatro Colón (esse, sim, lastimei ter visto apenas por fora), o que ele é no meio musical do planeta Terra e representou para gente tão importante no mundo da música como o pianista Daniel Baremboim, o maestro Carlos Kleiber e não sei quantos mais argentinos de nascimento que tão alto fazem (ou fizeram) honra ao seu país de origem. E a propósito de música, ao passear por Buenos Aires eu nunca poderia esquecer Martha Argerich, Carmen Piazzini ou Astor Piazzolla e o seu “Adiós Nonino”...
 
 
Mas se me ponho aqui a citar mais argentinos ilustres que deram (ou dão) novos mundos ao mundo, arrisco-me a fazer um rol mais parecido com uma longa lista telefónica.
 
 
 
E é sempre para mim uma grande incógnita quando vejo as pessoas a andar pelos passeios duma cidade e me pergunto se elas por acaso imaginam a História das pedras que pisam... ou se se limitam a pisar a História das pedras. E Buenos Aires tem tanto que ver que faz dó não podermos saber o que cada esquina possa ter para nos contar.
 
A propósito desses que eu vi a andar pelos passeios, há então que apurar quem são eles, o que é um argentino? Se tomarmos em consideração o que diz a anedota, «um argentino é um italiano que fala espanhol e tem a mania de que é inglês».
 
(continua)
 
 Henrique Salles da Fonseca
 
 

8 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2007
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2006
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2005
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2004
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D