Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

ARGENTINA – 2

 

 

DESAMPARADOS

 

 

Muitos dos que chagavam à Argentina desembarcavam em Buenos Aires. Porquê? E por que não?

 

Uma vez desembarcados, era-lhes facultado alojamento gratuito durante cinco dias no final dos quais se viam na rua. Nesse “longo” período era suposto arranjarem trabalho e instalarem-se na vida. Está-se mesmo a ver, não está?

Hotel de Inmigrantes es un complejo de edificios construidos entre 1906 y 1911, en el puerto de Buenos Aires , Argentina , para recibir y ayudar a los miles de inmigrantes que, en ese momento, donde su llegada a la Argentina desde muchas partes del mundo. El hotel dejó de funcionar en 1953, fue declarado Monumento Nacional en 1995 y hoy en día alberga el Museo Nacional de Migración.

in «Hijos y nietos de portuguese que viven en Tierra del Fuego» Facebook

http://www.facebook.com/groups/133088186701834/389096711100979/#!/groups/307346416191/

 

Eis como fizeram história as casas de lata que muitos erguiam com os materiais que arrebanhavam sabe-se lá onde e como... Mais: houve-os até que ergueram “mansões”, os convencillos, onde recebiam outros recém-chegados a quem hospedavam em regime de cama fria ou quente, assim pudesse o hóspede pagar mais ou menos mordomias. Cama fria, a daquele “ricaço” que se podia dar ao luxo de ter uma cama só para si; cama quente, a daquele, mais comum, que só se deitava quando o anterior cliente se levantava e lha deixava quente... Mas esses eram os afortunados que dormiam deitados pois havia também os hóspedes do encosto pelo direito de se sentarem no chão encostados à parede. E tudo isso numa misturada de espanhol, italiano, croata... E quanto aos equipamentos comuns, nem sempre a cozinha era muito longe da latrina.

 (*)

E como conseguiam estes recém-chegados ganhar para a bucha? A estiva era realmente a solução mais óbvia numa cidade portuária de
primeira grandeza, porta aberta para o mundo não só como entrada principal de quem procurava o país mas também via da exportação dos cereais e da carne que deram à Argentina a fama internacional (e o proveito) de grande alimentadora, the big feeder.

 

Muitos homens em vias de instalação na terra de adopção, à espera de condições para poderem chamar as famílias que ficavam lá longe, no outro lado do mar. Dá para imaginar o ambiente de solidão alagado de saudade, tristeza e álcool em ambientes que os mais castos diriam de perdição. E as primeiras notas de desamparo foram soando pelos dedos de quem levara uma concertina. Só que não foram apenas os homens que se adaptaram às novas paragens: a concertina cresceu e transformou-se nesse fantástico bandaneon que marca a nostalgia do seu tango.

 

El Caminito, Buenos Aires (arquivo particular)

 

O desamparo de quem descobre que o «el dorado» custa a conquistar, que muito se padece até se começar a controlar a nova vida.

 

Dá, finalmente, para compreender como num país de sonho nasceu uma canção de desespero: é que foram esses, os desamparados, que
começaram a dedilhar e hoje cantam flamenco, fado e tango.

 

(continua)

 

 Henrique Salles da Fonseca

 

(*)http://www.google.pt/imgres?q=conventillo&um=1&hl=pt-PT&sa=X&biw=1024&bih=735&tbm=isch&tbnid=YC-UTaUBHhFOcM:&imgrefurl=http://www.barracavorticista.com.ar/historia/conventillo/index.htm&docid=SA-6FRl1UFa6OM&imgurl=http://www.barracavorticista.com.ar/historia/conventillo/foto1.jpg&w=550&h=354&ei=zdhRT5PRPIa50QWCwdXfCw&zoom=

1&iact=hc&vpx=225&vpy=152&dur=154&hovh=180&hovw=280&tx=137&ty=105&sig=109573699884915906692&page=1&tbnh=129&tbnw=184&start

=0&ndsp=20&ved=1t:429,r:1,s:0

 

9 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2007
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2006
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D
  248. 2005
  249. J
  250. F
  251. M
  252. A
  253. M
  254. J
  255. J
  256. A
  257. S
  258. O
  259. N
  260. D
  261. 2004
  262. J
  263. F
  264. M
  265. A
  266. M
  267. J
  268. J
  269. A
  270. S
  271. O
  272. N
  273. D