Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

A ESSÊNCIA DO PROGRESSO -8

 (*)

A caminho da Universidade ou da valeta?

 

 

 

Em 2011 o Recenseamento Geral da População (cerca de 10,4 milhões de habitantes) disse-nos que naquele momento havia 9% de analfabetos estatísticos; como a definição de analfabeto estatístico é a do que não sabe ler nem escrever, isso significava cerca de 936.000 portugueses; para que em 10 anos alcancemos a taxa europeia de 0% de analfabetos, teremos que ensinar a ler e escrever (ou enterrar) por ano cerca de 93.600 cidadãos; se admitirmos que o analfabetismo se distribui uniformemente pelo País, temos então que ensinar a ler e escrever (ou enterrar) anualmente cerca de 307 cidadãos dessa categoria em cada um dos 305 Concelho do Continente e das Ilhas.

 

Mas dir-se-á que o objectivo de anulação do analfabetismo estatístico é utópico. A isso respondo com o facto histórico de nos anos 20 do séc. XX ter sido descoberto um adulto analfabeto que vivia num recanto isolado de um fjord na Noruega em que o escândalo foi tal e tanto que o Governo caiu. Será utópico querermos acabar com o analfabetismo estatístico em Portugal no ano de 2021 ou será uma vergonha nacional nessa época ainda termos 1 único analfabeto que seja?

 

Em conformidade com os elementos provisórios do Recenseamento Geral da População de 2011, podemos resumir a situação dos portugueses perante o Ensino formal do seguinte modo:

 

Sem qualquer grau de Ensino formal = 50%=       5 200 000

Com o Ensino Básico completo = 25           =        2 600 000

Com o Secundário completo = 13               =        1 352 000

Com licenciatura = 12                               =        1 248 000

 

Então, se quisermos em 10 anos transformar esta situação em algo parecido com o que em 1998 de melhor sucedia na Europa (Suécia, p. ex.), então o esforço passa por em 2021 termos 30% de licenciados, 48% da população com o Secundário completo, 22% com
o Básico completo e 0% sem qualquer grau de ensino.

 

Se não introduzirmos qualquer dinâmica (positiva ou negativa) na nossa estrutura populacional, isso significaria que em 2021 as diferentes classes deveriam ser como segue:

 

Sem qualquer grau de Ensino = 0%                 =                  0 pessoas

Com o Ensino Básico completo = 22                 =     2 288 000

Com o Secundário completo = 48                     =     4 992 000          

Com licenciatura = 30                                     =     3 120 000    

 

Em relação aos números de 2011, isso significa os seguintes movimentos aproximados:

  • Dar alguma escolaridade (1º ciclo, p. ex.) a 5 200 000 pessoas, para além das que normalmente já o fariam (crianças), o que significa mais cerca de 520.000 alunos primários por ano, muitos dos quais adultos;
  • Fazer anualmente completar o Secundário a mais cerca de 364.000 alunos (jovens e adultos), para além dos que já naturalmente o fazem;
  • Fazer concluir anualmente uma licenciatura a mais cerca de 187.200 portugueses, para além dos que já naturalmente o fazem.

 

Este esforço tem que ser feito se quisermos igualar os melhores mas, atenção, não estou a considerar variáveis tão plausíveis como as inerentes à evolução dos próprios índices desses Países mais evoluídos. Estou a considerar um modelo teórico em que faço variar um factor et ceteris paribus, o que na realidade nunca sucede.

 

(continua)

 

 Henrique Salles da Fonseca

 

(*)http://www.google.pt/imgres?q=borla+e+capelo&um=1&hl=pt-PT&sa=N&biw=1024&bih=735&tbm=isch&tbnid=SOxGfZi4eQXuLM:&imgrefurl=http://virtualandmemories.blogspot.com/2010_03_14_archive.html&docid=SkC8v6uKo6f_0M&imgurl=https://1.bp.blogspot.com/_nPHTbRJlbJ8/S6KoOi8wMdI/AAAAAAAAC_w/VZEwv8SrMFo/s400/Cb%252Bcortejo%252Bformandos.jpg&w=393&h=400&ei=jJ0yT5iSE4uf8gOH-b3rBg&zoom=1&iact=hc&vpx=93&vpy=314&dur=81&hovh=226&hovw=223&tx=144&ty=131&sig=109573699884915906692&page=1&tbnh=134&tbnw=132&start=0&ndsp=24&ved=1t:429,r:18,s:0

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2007
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2006
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2005
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2004
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D