Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

HUNGRIA

 (*)

Budapest, 1956

A 25 de Abril de 2011, o Presidente da Hungria assinou a nova Constituição que o Parlamento húngaro por esmagadora maioria, aprovou.

Ao contrário de outras nações europeias, que votaram na auto-destruição física e moral, a Hungria, com esta nova Constituição “optou por reafirmar a sua identidade nacional”. Assim, nesta Constituição, o povo húngaro, entre outros valores, destaca os valores da nação, religião, vida, dignidade, família e propriedade.

Como uma verdadeira Fénix, a Hungria faz renascer todos os valores cristãos da velha Europa! A bandeira húngara volta a ter de novo a coroa de Santo Estêvão.

Santo Estêvão (997-1038), orgulho do povo húngaro, foi o fundador do Reino Católico da Hungria. Com coroa de ouro cravejada de pedras preciosas, oferta do Papa Silvestre II (999-1003), primeiro Papa francês, Santo Estêvão foi coroado no último ano do século X (ano 1.000) e canonizado em 1083 por S. Gregório VII (1073-1086).

Os húngaros ou magiares, povo nómada, tem a sua origem nas margens do rio Volga nos montes Urais. No século V começa a sua migração para sul, no século IX instalam-se na bacia dos Cárpatos, região da antiga Província romana da Panônia.

Sob o domínio soviético entre 1949 e 1989 (40 anos), a Hungria foi o primeiro país da cortina de ferro a sublevar-se com determinação.

Em Outubro de 1956, estudantes universitários, a que se juntaram operários, intelectuais e militares revoltam-se, pondo Nagy no poder. O general Paul Maleter chefia os revoltosos. Estátua de Stálin e símbolos do comunismo são destruídos.

Pela rádio os húngaros pedem ajuda ao Ocidente.

Aguardando a reacção do Ocidente, tropas soviéticas estacionadas na Hungria retiram para a fronteira. Em simulacro de boa vontade os russos propõem conversações.

Nagy e Paul Maleter ao aceitarem o encontro, assinam a sua sentença. Com a maior deslealdade e cobardia, toda a missão húngara foi presa e fuzilada.

O Ocidente não ajudou! Limitou-se a incitar a revolta!

Miseravelmente, a Hungria ficou esquecida. Assistiu-se assim, a um dos mais tristes e dolorosos episódios da História, após a segunda Guerra Mundial.

Centenas de milhares de húngaros, após uma resistência heróica ou fugiram para o Ocidente ou foram fuzilados.

Os países ocidentais estavam noutra.

Na mesma data, decorriam os Jogos Olímpicos em Melbourne.

Na mesma data, em confronto com Nasser que nacionaliza o Canal do Suez, (inaugurado pelo francês Lesseps em 1869), franceses e ingleses são lançados de pára-quedas sobre Port-Said, enquanto israelitas avançam por terra. Travados pela O.N.U. e pelos americanos (!), tudo lhes saí furado. Barcos afundados intencionalmente pelos egípcios entopem o Canal. Petroleiros voltam a fazer a velha rota do Cabo!

Com esta Constituição, a Hungria dá uma lição á Europa.

Uma Europa decadente, adormecida em relação aos verdadeiros valores cristãos.

10 de Junho de 2011

Fernando Mascarenhas Cassiano Neves

(*)http://www.google.pt/imgres?q=Hungria%2B1956&um=1&hl=pt-PT&sa=N&tbm=isch&tbnid=y5o2ZzMzpNlrFM:&imgrefurl=http://trabalholmp.blogspot.com/&docid=lvj-cdSQbmfTfM&w=400&h=230&ei=zBMxTpiDBcigOpqA8doL&zoom=1&iact=hc&vpx=503&vpy=112&dur=3194&hovh=170&hovw=296&tx=163&ty=94&page=1&tbnh=128&tbnw=222&start=0&ndsp=20&ved=1t:429,r:3,s:0&biw=1024&bih=753

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2004
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D