Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A bem da Nação

OS IMPERADORES E A HERDEIRA

 Dilma Rousseff recebe a faixa presidencial das mãos de Lula, após 8 anos dele no poder... (*)

 

Não será novidade para ninguém ver tantos governantes, democráticos, tipo Fidel (há mais de 51 anos a imperar), Gadaffi (há 40 anos), Zé Du (30), Mugabe (30), Hosni Mubarak (28), Obiama Nguema (30), Paul Biva (27),Omar al-Bashir (25), Yoweri Museveni (24), Blaise Compaore (22), Zine Al-Abidine Ben Ali (22), Kim Jong-Il (16, fora os 48 do papai), Hugo Chavez (há 12 et sempiternum), Hafez al-Assad (depois de 30 deixou o trono a seu filho) Bashar Al Assad (10 anos), Abdelaziz Bouteflika (12), sem esquecer o grande gabonês Omar Bongo (42) e agora o Gbagbo (leia-se o bembom!), e outros mais, como gostam de compartilhar o poder! E ainda aparecem na “mídia” a sorrir! Como a hiena... a rir de quê?

 

Estes são os linha dura. Depois há os linha “soft” aplaudidos, também, mundo fora, que choram ao largar a faca e o queijo da mão, e há ainda a linha dos xicos espertos que lutam anos, depois de terem estado no bem-bom uns quantos, para imporem um herdeiro para o trono, enquanto a sua fama de bonzinho lhe não faltar, porque esperam ansiosamente retornar. E escolhem para isso uma pessoa doente, com câncer.

 

Se ela – a pessoa – morrer, há sempre uma, vaga, hipótese de voltar a pôr a mão na massa, e olha que tem havido “massa” para deitar e rolar!

 

Pois é. Por aqui essa “jogada” também tão bem se fez, e de tal modo que o herdeiro/a recebeu a faixa presidencial, imperial.

 

O imperador de recesso (!), nos últimos dias da sua imperialidade, ainda quis deixar bem patente a sua marca, ao dizer que saía feliz com a crise que atingiu os EUA, a Europa e Japão (sic), declarou com veemência que não permitiria redução no orçamento do PAC (lá voltaremos), contrariou a extradição do assassino italiano, inaugurou tudo quanto pôde e não pôde, como obras ainda nem iniciadas, e tantas foram que nos últimos dias passou a inaugurá-las via Internet! E ainda inaugurou a famigerada Ferrovia Norte-Sul, prometida e jurada para terminar durante o seu mandato, da qual só se concluiu um – 1 – quilometro, que assim mesmo foi inaugurado com pompa e locomotiva enfeitada com a bandeira do Brasil! Os cem -100 – quilómetros que faltam não foram feitos... o povo não sabe disso.

 

Mas, a herdeira, que não é da base do PT, e nunca tinha sido política, mas burocrata, e inteligente, mesmo que aparentemente de saúde duvidosa, começou logo no primeiro dia de trabalho a mostrar quem manda:

- reduziu em 3 biliões o orçamento do PAC;

- diz que será implacável com a corrupção (isso é o que todos, em primeiro lugar querem ver);

- declarou que o assunto da extradição do tal assassino Battisti é da competência dos tribunais e não da presidência;

- lamentou a atitude do Brasil na ONU em relação ao Irão;

- declarou que a política da nossa diplomacia vai voltar ao tempo antigo! Nada de andar a bajular Fideis, Chavezs, Ahmanidejads e outras troglodíticas e perigosas cabeças. É preciso não esquecer que o Brasil, pré palhaço, teve uma das melhores e mais respeitadas diplomacias do mundo;

- e, não anda a exibir-se no espavento como o grande big líder por todo o mundo, sempre, e somente, fez!

- também afirmou que ia acabar a brincadeira de abrir embaixadas! Só no governo do imperador, abriram-se 68 – sessenta e oito – novas embaixadas, em países da maior importância estratégica/económica, como Burkina Faso, Bahamas, Belize, Santa Lúcia, São Cristóvão e Nevis (alguém sabe onde fica?), São Vicente e Granadinas, Omã, Azerbeijão, Chipre, Botsuana, Mali, Sudão, Togo, Bangladesh, Mianmar, Coreia do Norte, e outras tantas. Fica difícil entender como não se abriram nas Maldivas, Ilhas Tonga, Niue, ou Tuvalu, onde poderia mandar construir um palácio para a nossa representação trabalhar, na sua capital, Funafuti!

 

Mas, enfim, ninguém dava nada pela herdeira. Era somente para ser um período tampão para o falastrão poder voltar, porque ele acha que a doença dela, com a carga do ofício a vai levar ao caixão!

 

Mas... parece que as coisas não vão ser tão fáceis! Mulher que lutou, deu a cara, esteve presa e torturada, não vai fazer-se agora de carneirinho às ordens do imperador, a quem, segundo noticiário, já trata pelo diminutivo: lulinha!

 

A crítica está atenta. Sabe-se que os primeiros seis meses vão ser muito difíceis. Mas se já começa a acreditar que ela vai mesmo tomar as rédeas na mãos, e decidir por sua própria cabeça.

 

Prometeu dar grande prioridade à educação (aplausos), lutar para acabar com a miséria, não pela distribuição de esmola-famílias (muito mais aplausos) mas com a criação de emprego e promover o desenvolvimento de infra-estruturas para o país poder crescer.

 

Se tudo isto for verdade, e todos queremos crer que sim:

- que tenha muita saúde;

- que saiba rodear-se dos melhores e não dos corruptos e devassos habituais;

- e que, pode até ter muita pena, mas tem que mandar o ex-imperadorzinho ficar quieto e não interferir, ou mandá-lo até p’ra...

 

O Brasil merece isso e muito mais.

 

Dona Dilma, os duzentos milhões de brasileiros, e o mundo inteiro, querem acreditar que a palhaçada acabou. Não os, e nos, desengane.

 

Rio de Janeiro, 13 de Janeiro de 2011

 

 Francisco Gomes de Amorim

 

(*)http://siterg.ig.com.br/news/2011/01/02/dilma-rousseff-presidenta/

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D