Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A bem da Nação

O TURISMO NO DESENVOLVIMENTO DO SOTAVENTO ALGARVIO - II

 

 

De acordo com o que foi apresentado no artigo anterior vamos apresentar, de forma obviamente sintética, as várias actividades que constituem o potencial turístico do Sotavento Algarvio, não de forma definitiva mas apenas como orientação para estimular os leitores a colaborarem activamente nesta iniciativa.

 

 

 Alfarroba, magnífica alternativa ao cacau na produção de chocolate

 

 

-Gastronomia típica tradicional e outras mais modernas adaptadas à realidade actual das localidades.

 

-Produção de produtos alimentares como hortaliças, frutas, temperos, grão, ervilhas, favas, etc, que em tempos eram produzidos aqui e tinham fama de excelente qualidade, frangos do campo, borregos, produtos da ria como amêijoa, conquilha, lingueirão, etc., e do campo como azeitonas, figos, amêndoas, alfarroba etc. Já há muito trabalho realizado neste campo como é o caso da In Loco e outras entidades, mas é importante terem mais ajudas e principalmente mais interesse prático por parte dos utilizadores, isto é, estimulando os sectores de distribuição a darem-lhes mais e melhor utilização.

 

A capacidade de produção em regadio parece estar pouco aproveitada e é fundamental que se produza mais e importe menos.

 

E o peixe do mar e de água doce que tanto precisa de ser correctamente tratado mas que tarda a remodelação necessária da pesca que foi tentada em 1982 mas que até hoje continua à espera das decisões essenciais.

 

Haverá certamente dificuldades e estrangulamentos na distribuição em quase todas estas actividades mas nada que não possa ser resolvido se os políticos de serviço quiserem fazê-lo. E nem é caro nem tão complicado como pode parecer. Apenas é preciso vontade política e não ceder aos lobbies do costume.

 

-Pesca desportiva em água doce e água salgada, sempre com devolução do pescado à água.

 

No que respeita à pesca na água salgada convém recordar a experiência existente em outros países em que os pescadores profissionais individuais, frequentemente clandestinos, são os principais interessados em aderir a esta pesca desportiva porque têm mais lucros com menos trabalho e menos riscos e ainda com a vantagem adicional de se tornarem os mais atentos fiscalizadores contra os crimes e desmandos dos predadores.

 

Este assunto será retomado em próximos artigos pela dependência da existência de postos de amarração acessíveis.

 

-Mergulho no mar para contemplação e fotografia, pois para caça é inadmissível, o que implicará a existência de mais recifes artificiais e de barcos afundados, devidamente preparados, para aumentar os locais a visitar.

 

-Caça em coutadas devidamente organizadas de forma sustentada.

 

-Passeios a pé e de bicicleta tendo em conta a necessidade de garantir a segurança e o conforto suficiente para estimular a procura e produzir rendimento.

 

-Desenvolver as artes em particular a da pintura dadas as condições excelentes de luminosidade aproveitando as escolas já existentes e criando outras se for necessário mas principalmente organizando concursos com nível nacional e melhor ainda se se conseguir seja internacional.

 

-E por último a criação de um ambiente de tal qualidade que se torne atractivo para a fixação de população de elevado nível como por exemplo de empresas de “software”.

 

 José Carlos Gonçalves Viana

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Contador


contador de visitas para site

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2005
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2004
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D