Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

PRODUZIR PARA NÃO IMPORTAR

 

 

“Só exportando mais será possível garantir um equilíbrio das nossas contas externas”, escreveu a Dr.ª Manuela Ferreira Leite no Expresso de 21-2-2009. Não é verdade. Não é “só exportando” mas também não tendo de importar o que devemos ser capazes de aqui produzir – e às vezes melhor e mais barato – que podemos equilibrar as “nossas contas externas”.
 
Um sector em que essa possibilidade é bem evidente é a Agricultura. Se não fosse a sistemática destruição a que tem estado submetida pelos governos das últimas décadas e com especial intensidade por este que ainda está em funções, não teríamos o vexatório panorama que vemos em qualquer supermercado. É lógico ter de importar bananas ou mangas. Mas encontrar os supermercados a abarrotar de batatas, cebolas, cenouras, alhos, alfaces, tomates, pimentos, feijão verde, melões, melancias, laranjas, limões, ameixas, pêssegos, nêsperas, maçãs, peras, uvas, morangos, etc. etc. etc. vindos, à vezes, de bem distantes terras, é uma das causas do desequilíbrio “das nossas contas externas”. É um erro bem mais fácil de corrigir do que aumentar as exportações. E, aliás, uma Agricultura eficiente também aumentaria muito as actuais exportações de produtos agrícolas.
 
A destruição da agricultura, começando no desmantelamento dos serviços do Ministério que são a alavanca do progresso e da agora muito em voga “inovação” – mais uma vez lembro a vergonhosa legislação dos finais de 2007 – e terminando na devolução a Bruxelas de avultadíssimas quantias, é uma das causas da nossa paupérrima situação económica e com graves efeitos sobre o PIB,  a inflação, o desemprego e a balança comercial(1), afectando também o comércio e a indústria, a montante e a jusante.
 
Ao logo dos anos, muito tenho escrito sobre o tema e  indicado o que há a fazer e que, aliás, é elementar. Tem sido um bradar no deserto e não vejo as mínimas perspectivas de sairmos do pântano em que têm estado a mergulhar o país.
 
 Miguel Mota
Publicado no “Linhas de Elvas” de 5 de Março de 2009
 
(1) Mota, M. – PIB, Défice, Inflação e Produtividade. Diário Económico de 24 de Janeiro de 2000

7 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D