Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

ÉTICA LUSÓFONA E SENTIDO DE ESTADO – 8

 

 
6. E PORTANTO...
 
Se o poder dos órgãos de comunicação não for totalmente esclarecido, a democracia poderá não subsistir de forma verdadeiramente duradoura. Até porque enquanto prevalecer o critério de que «devemos oferecer às pessoas o que elas esperam», os programas serão cada vez mais medíocres e então, como Popper conclui, (...)só nos resta ir para o Inferno! (...).
 
E se não quisermos ser cilindrados pelo fatalismo infernal, recordemos Hegel quando ele diz que é necessário disciplinar a vontade natural incontrolada, conduzi-la à obediência de um princípio universal e, nesse enquadramento, facilitar a liberdade individual.
 
Por tudo isto eu digo que nos espera um século de glória ou de desespero conforme consigamos ou não dar esperança ao Mundo Lusófono...
 
·         ... Trazendo de volta os valores éticos de base étnica na dimensão individual e na colectiva devidamente harmonizados na nossa convivência pluri-cultural e internacional;
·         Se conseguirmos definir um novo código ético de conduta para a comunicação social;
·         Se conseguirmos impor aos governantes lusófonos que se rejam por um inultrapassável Sentido de Estado.
 
 
E como Georges Steiner afirma, “despertar noutro ser humano poderes e sonhos além dos seus; induzir nos outros um amor por aquilo que amamos; fazer do seu presente interior o seu futuro: eis uma tripla aventura como nenhuma outra”.
 
Conseguiremos?
 
Esperemos que sim pois não faz sentido viver longe da utopia.
 
                                    Com grandes golpes bato à porta e brado:
Eu sou o vagabundo, o Deserdado…
Abri-vos, portas d’ouro, ante meus ais!
 
Abrem-se as portas d’ouro, com fragor…
Mas dentro encontro só, cheio de dor,
Silêncio e escuridão – e nada mais!
 
Ao fim de 130 anos e tal, eis-nos novamente a bater às portas do “Palácio da Ventura”.
 
 
Mas o nosso não será um fim igual ao de Antero de Quental.
 
FIM
 
Bragança, 2 de Outubro de 2008 – VII Encontro da Lusofonia
 
 Henrique Salles da Fonseca
 
  
BIBLIOGRAFIA:
 
Bento XVI – “Carta sobre a educação” – Libreria Editrice Vaticana, Janeiro de 2008
Lipovetsky, Gilles – “O crepúsculo do dever” – Dom Quixote, 3ª edição, Outubro de 2004
Mandela, Nelson – “Longo Caminho para a liberdade. Autobiografia de Nelson Mandela”
Monografias.com – Ética, http://www.monografias.com/trabajos5/etica/etica.shtml#intro
Mumford, Lewis – “História das Utopias” – Antígona, 1ª edição, 2007                 
Popper, Karl; Condry, John – “Televisão: um perigo para a democracia” – Gradiva, 3ª edição, Fevereiro de 2007
Singer, Peter – “Um só Mundo – A ética da globalização” – Gradiva, 1ª Edição Fevereiro de 2004
Sloterdijk, Peter – ‘Palácio de Cristal’, -Relógio d’Água, 1ª edição, Fevereiro de 2008 (ética da responsabilidade)                    
Steiner, George – “As lições dos Mestres” – Gradiva, 2ª edição, Outubro de 2005
 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D