Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A bem da Nação

"Diálogo" com o Professor Jacinto Nunes sobre a EDUCAÇÃO

 

 
Caro Professor Jacinto Nunes,
 
A facilidade com que hoje se enviam e divulgam e-mails pode atenuar, um pouco, a “assimetria” da Televisão, em que alguns (poucos, e com frequência demasiado repetidos) falam e comentam a actualidade para milhões de telespectadores que dificilmente podem transmitir a sua opinião aos que vêem e ouvem falar.
 
Ontem, num breve momento em que tive a televisão ligada, ouvi-o dizer que, sem minimizar o problema das avaliações dos professores, o problema fundamental da Educação era o do conteúdo dos cursos.
 
Se o tivesse ouvido dizer o mesmo numa sala, ter-lhe-ia transmitido a minha concordância, mas ter-lhe-ia também feito a pergunta:
- Como é que o Professor Jacinto Nunes considera que deve ser abordado o problema do conteúdo dos cursos?
     (Fixemos neste momento a atenção sobre os cursos do Secundário.) 
Criando o Ministério comissões de “sábios”? E quem é que os vai escolher?     
Convidando peritos estrangeiros que ignorem tudo o que de bom e muito bom já foi feito em Portugal?
Confiando o assunto a “cientistas” da Educação, que se auto promovem uns aos outros?
    
Eu tenho uma proposta que julgo viável e que (com pouco êxito) tenho procurado discutir: o Ministério, partindo dos programas actuais sem grandes alterações, decidiria que a matéria correspondente a estes programas, e sobre a qual haveria exames nacionais, corresponderia só a 2/3 das aulas; quanto ao outro terço, os professores, no âmbito das suas disciplinas, seriam livres de ensinar a matéria que entendessem, com os métodos e os modos de avaliação que entendessem, sendo, no entanto, obrigados a apresentar o programa e um relatório destas aulas, e a indicar os elementos de estudos que seriam fortemente encorajados a elaborar individual, ou colectivamente.
    
Estou persuadido que uma medida como esta, que não exige despesas adicionais, pode alterar radicalmente o Ensino Secundário de Portugal e de qualquer outro país que a adopte. (Escrevi um texto sobre este assunto que pode ser encontrado em, www.apagina.pt  nos arquivos electrónicos do jornal “A Página”).
 
No que diz respeito à avaliação dos professores, um elemento importante para avaliar a sua criatividade, capacidade e bom senso, seria o modo como preparassem as aulas de sua iniciativa.
 
A prazo, o Ministério poderia encarregar professores escolhidos por processos que tivessem em conta estes elementos para, dum modo regular e contínuo, melhorarem os programas correspondentes a 2/3 das aulas que lhe competiria definir.
 
O tema da Cimeira Ibero Americana que se vai realizar no próximo ano, na Argentina, vai ser a Educação. Pensei que, neste momento, o contributo que podia dar para estimular um debate que me parece necessário para Portugal lá poder aparecer com propostas válidas e inovadoras seria, enviar-lhe um e-mail como este, que vou divulgar e, em particular, transmitir à Senhora Ministra da Educação.
 
Dei-lhe a forma de um “diálogo” consigo. Penso que compreenderá.
 
Com os meus melhores cumprimentos e elevada consideração, subscrevo-me,
 
           António Brotas
5 de Dezembro de 2009

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D