Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

POBRE BICHO DA TERRA

 

 Lá longe é a Machava...
 
Veio muito triste hoje, a Marta. Deram à família ordem de despejo e em troca da casita e do terreno que era deles, necessário, ao que parece, para a construção de uma escola, ofereceram-lhe outro terreno lá muito longe, na Machava, e mais cento e cinquenta escudos por conta do caniço.
 
O caso não se passava só com ela. A mesma ordem fora dada a uma série de famílias do bairro do caniço, obrigadas a agarrar nas trouxas e abalar.
 
A Marta vive com os pais e dois irmãos e como todos trabalham fora, excepto a mãe, conseguiram comprar um terreno distante ainda do aeroporto, mas em todo o caso num local mais próximo da cidade do que aquele para onde os queriam expatriar, absolutamente incompatível com os seus horários de trabalho e com a despesa (e escassez) de transporte que tão grande dist\ância implica.
 
Mas se a Marta pôde comprar o seu terreno, o mesmo se não dará com outros, certamente, menos abonados e que terão mesmo que partir para tão longe – mudar de terra, afinal.
 
Esta imposição pouco honesta, porque de modo algum compensadora, sugere-nos reflexão melancólica sobre o “bicho da terra vil e tão pequeno” que não só o destino mas o próprio homem, mais cruel do que aquele, se esmeram em reduzir ainda mais.
 
Para fazerem as suas casas, aqueles negros trabalharam, talvez, bastante, a fim de obterem a quantia que lho permitisse.
 
Não compreendemos como se pode, tão cavilosamente, despojá-los do que é seu, embarcando-os para longe sem sequer os indemnizar devidamente e sem se atender aos seus interesses e necessidades.
 
Obrigará o progresso a ser-se menos justo com os seus semelhantes? Concordamos que se torne necessário tal êxodo, necessidade que já vem nos livros, do Júlio Dinis pelo menos, onde o velho herbanário foi sacrificado no mesmo objectivo de desenvolvimento, já que era também o mais débil, quer economicamente, quer politicamente, ou socialmente.
Com o que não concordamos é com o logro, sobretudo quando os logrados são os tais seres inferiores que se não podem defender e nem sequer podem pagar ao advogado que os defenda, o que lhes sairia, evidentemente, bastante mais caro do que aquilo que perdem pela casa de que, friamente, os despojaram.
 
Berta Brás
 
In PROSAS ALEGRES E NÃO – Lourenço Marques, 1973

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D