Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A bem da Nação

ASSIM FALAMOS - 2

  

A haplologia na deficiência vocabular da nossa competitividade deficiente
 
 
 Afeganistão - a competitividade dos transportes
 
 
            Trata-se de um palavrão elegante, este da haplologia, de origem grega, vocábulo que também poderia ter sofrido o fenómeno fonético de síncope silábica (haplogia), por simplificação, que o seu significado traduz, e só tal não aconteceu por ser de origem erudita, pouco conhecido e menos usado.
 
            Outros termos, mais gastos pelo uso, de duas sílabas contíguas semelhantes ou iguais, suprimiram a primeira das sílabas, exemplo do adjectivo saudoso, que, formado a partir de saudade, deveria dar em saudadoso, tais como bondadoso, maldadoso, piedadoso. Da mesma forma idololatria convergiu em idolatria, mineralologia em mineralogia, formicicida em formicida.
 
            São fenómenos fonéticos provenientes do uso corrente, que justificam outros casos de elisões que todos praticamos: (“inda” por “ainda”, “bora” por “embora”, etc.), obedecendo ao princípio muito humano da lei do menor esforço, que está na origem de tantos fenómenos de adulteração dos sons das palavras, propiciando a sua evolução, para só nos determos na prática da língua, desprezando outras práticas redutoras do esforço, que, com boa vontade, até podem conduzir à estagnação.
 
            É este fenómeno de haplologia que justifica, certamente, a redução da “competitividade a “competividade”, pronunciada por gente de formação superior, que nos bombardeia sem tréguas com a supressão de uma das sílabas -ti- indiferentes à maculação da língua, na sua ânsia, talvez, de expandir o fenómeno em causa – a competitividade com os países estrangeiros.
 
            No caso de saudoso, bondoso, etc, são os substantivos – saudade, bondade, piedade, maldade – que estão na origem dos adjectivos, a que se acrescentou o sufixo -oso. No exemplo citado acima é do adjectivo competitivo que se formou o substantivo com a junção do sufixo -(i)dade.
 
            Temos assim que, de competitivo + (i)dadese formou competitividade e não há estômago que se não contraia de asco, pela repetida supressão de uma das sílabas repetidas, na pressa inútil, talvez, de atropelar verdades e iludir os crédulos.
 
            Se não sabemos sequer utilizar os termos com que pretendemos enriquecer o nosso país na área económica, como podemos, de facto, incrementar os esquemas ideológicos que poderiam tornar mais real a nossa competitividade?
                                                                                              Berta Brás

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2004
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D