Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

CRÓNICA DO BRASIL

Jacarés, baratas e leis

Segundo a ciência, as baratas os jacarés habitam este planeta há uns de 300 milhões de anos. Estão maravilhosamente adaptados, ambos vivendo dentro e fora de água e os jacarés com capacidade de sobrevivência sem comer até quase um ano! 299,9 milhões de anos mais tarde surgiu o seu único predador, que ainda hoje se gloria da destruição que faz, e exibe o que sobra de alguns imponentes animais, em vitrines de lojas caras, em sapatos e bolsas de senhoras. O homem, claro está. As baratas, muito mais espertas, não vão acabar nunca!

Nós discutimos muito o “desenvolvimento sustentável”, a “macro e a sócio economia”, o “equilíbrio ecológico”, o “meio ambiente”, sendo que larga maioria da população entende este “meio” como a metade do ambiente. Preservar sim, mas a metade que ela não ocupa, domina ou destrói. O resto, área sua, como cidades, praias, etc., pode destruir à vontade, poluir, desmatar, construir fábricas de alto índice de poluição dentro de parques nacionais, etc.; é o “seu” meio, e ele, o tal homem, deve achar que assim está bom, porque pouco faz para preservar o que ainda lhe sobra.

Os americanos e europeus reclamam da destruição da Amazônia, é óbvio, e nós aqui esquecemo-nos dos 99% de desaparecimento das florestas originais da Europa1

Diz a Bíblia que um dia Deus disse e criou o homem. Na contradição entre as datas retiradas da Bíblia e os estudos antropológicos, vê-se que há uma imensa diferença em tempo. Adão teria vivido há uns seis mil anos e os achados arqueológicos, mostram que o homem, o tal que se intitula sapiens, sapiens, para auto garantir-se a supremacia, já por aqui andaria há dez ou quinze vezes mais tempo do que isso.

Cansou-se Deus um dia da falta de sapiência e raciocínio do indivíduo criado à Sua imagem, da bestialidade desse novo ser, e deu-lhe aquilo que em princípio deveria ordenar a sua vida: as Leis. E como em todas as leis, o homem quando prevarica, apanha na cabeça (ou deveria apanhar).

Destrói, rouba, mata, enriquece com o empobrecimento dos outros e, à medida que vai crescendo em poder financeiro, aumenta a sua capacidade de ignorar tudo quanto não o favorece pessoalmente. Tantos milhares de anos são já passados, mesmo com a Lei, mas em termos cósmicos Deus saberá que não passaram talvez dois segundos do tempo que nós temos capacidade de medir.

Não cumprimos a Lei, nem as centenas de milhares de leis que se têm vindo a fazer, muitas delas objetivando interesses privados, nem castigamos exemplarmente quem prevarica. Nalguns lugares, como agora aqui no Brasil, parece que o caos se reinstalou!

Mais tarde Deus viu que só a Lei não era suficiente e mandou o seu Filho, com a Graça e o Perdão. Perdão esse claramente definido: “aqueles que se arrependerem...” Quão poucos se arrependem de verdade e enveredam nos Caminhos da Paz.

Quanto tempo teremos ainda, os tais sapiens, que esperar, até que se encontrem a si próprios e troquem o desvairado egoísmo por um altruísmo autêntico? Ou será que acabaremos comandados por baratas e jacarés.

Rio de Janeiro, 28 set. 05

Francisco Gomes de Amorim

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D