Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

POSTAIS ILUSTRADOS - III

 

 
 
 
 
AO GOVERNO
Contribuição para uma política de Educação
 
Hoje, Jonh, envio-te a Calçada na Alameda de Jacarandás em frente da escadaria principal do Palacete de São Bento, edifício anexo à nossa Assembleia da República, similar ao teu Congresso. Mas, continuando com a minha exposição sobre este tema da Educação, tenho a convicção de que os sistemas político-económicos começaram a ruir nos anos seguintes ao do primeiro grande “crash” de Walt Sreet. Mais uma vez, o efeito do bater de asas da borboleta americana desintegrou muitas das economias adjacentes. Porém, a maior estrondosa surpresa chegou-nos do Comunismo Soviético pela mão de Gorbachev, (há outros sistemas comunistas moldados pela cultura dos Povos) e baseados na propriedade colectiva, no pensamento único e na luta do proletariado, que criou uma nova classe dominante (expressões tão do agrado de Marx e das leis da superestrutura e da base) que oprimiu, durante décadas um Povo, por conta da luta por uma sociedade igualitária, no pós-czarismo. Lenine. Estaline, Trotsky vieram demonstrar-nos, na prática, o que pensavam do papel do Estado (até então ocupado por uma classe dominante tradicional burguesa e substituída por outra classe dominante dita do proletariado e tão violenta e opressora ou mais – que criou os “gulags” - do que a primeira), que tudo dirige, tudo decide e tudo ordena em nome do Povo trabalhador. O Comunismo Chinês, oriundo, também, das raízes marxistas, teve uma outra leitura e práticas do exercício do poder absoluto de um Partido sobre uma Nação, com a Revolução Cultural de Mao Tsé Tung, que criou os guardas vermelhos e humilhou centenas de cidadãos, tendo como resultado o que o Mundo conhece. Porém, a China, nos dias de hoje, funciona, inteligentemente, a duas economias.
 
E o Capitalismo Americano? E quem diz americano diz mundial porque as várias formas de capitalismo, incluindo o europeu, tiveram descendência de matriz americana e algumas são tão dependentes que umas não podem existir sem as outras pelos elos que criaram e são, consequentemente, arrastadas para a queda. Este (o Capitalismo Mundial) ruiu, também, com estrondo por os seus alicerces terem sido minados pelo mais comum dos factores humanos: a ganância. A expressão é do vosso Nobel de economia, Milton Friedman.
 
A globalização que teve início com as incursões marítimas é agora muito mais visível pelo factor informação. Esta corre célere, quase instantânea, pelas linhas da internet, pelos satélites, pela imprensa escrita e falada que nos apresentam os acontecimentos ao vivo, a cores e minutos depois de terem lugar. Mas, cada informação, chega-nos condicionada pelas linhas editoriais e pelas tendências políticas dos profissionais envolvidos na comunicação. (continua)
 
 Luís Santiago
 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D