Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

Qual é o dia de Portugal ?

 

Comemoram-se em Portugal diversas datas que, em teoria, deveriam ter como objetivo a reunião, alegre e vitoriosa, de todo o povo português.
Mas não é bem assim, com exceção do 10 de Junho, dia de Camões, da língua portuguesa, da «minha pátria como língua», da união, sim, com todos os povos que usam a mesma língua, os que pertencem à CPLP. É uma data que deve ser saudada com um espírito de grande fraternidade e agradecimento também, pelo que, cada um dos povos contribuiu para o enriquecimento desta nossa língua comum, como o caqui que veio das índias, à canga de Angola (mesmo que haja opiniões controversas) e milhares de outros vocábulos que de entrada as naus traziam no retorno e mais tarde chegaram até por avião, pelo éter, pelas novelas brasileiras!
E foi-se enriquecendo a língua!
 
Mas festejar o 5 de Outubro só porque se passou de monarquia a anarquia, ainda por cima tendo permitido aos carbonários que renegassem a bandeira tradicional... é coisa difícil de aceitar. Não que eu seja monárquico, mas jamais renego o passado.
 
Da mesma forma o 25 de Abril. Festejar o quê? Que mataram o Salazar, já morto? Que se entregou o país ao saque dos ineptos? Que só alguns anos depois é que começou a surgir um embrião de democracia, hoje conspurcada pelo contínuo saque dos governantes à parca res publica? Para manter viva a ilusão do partido comunista com uma grande festa de churrasco com alucinados e penduras? Festejar o 25 de Abril é coisa de covardes, dos que não se atrevem a dizer não ao status quo duma hipotética democracia que rói as entranhas e a cultura dum povo que devia orgulhar-se dos seus princípios!
Para aqueles para quem o acaso não existe e de acordo com algumas opiniões, Dom Afonso Henriques terá nascido em Coimbra ou Viseu, em 1109 e há quem afirme que foi no dia 25 de Julho. Aceitemos, este dia para continuar.
 
 D. Afonso Henriques (1109-1185)

 

 
O que parece não haver dúvidas é que foi a 25 de Julho de 1139 que o príncipe Afonso derrotou cinco reis mouros na Batalha de Ourique, mesmo que ninguém se atreva a afirmar, com certeza, onde fica localizado o local do encontro.
Mas a data ficou-nos. E foi a partir daí que o príncipe Afonso entendeu declarar-se Rei.
 
 
 
Quem vence cinco reis tem o direito de se intitular rei. Dom Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal! O fundador da portugalidade.
Mandou que colocassem na nova bandeira os cinco escudos dos inimigos vencidos e dentro de cada um cinco besantes de prata para mostrar que, como rei, alcançara o direito a cunhar moeda.
Assim nasceu Portugal. Em 25 de Julho de 1109.
Data que se esquece ou ignora, quando seria a principal a ser festejada no país, em vez de fingirmos que somos republicanos, quando o povo gasta fortunas para comprar revistas de terceira categoria com fofocas de príncipes e princesas (!), ou que gostamos muito da revolução dos cravos, quando há cada vez mais gente a lamentar que não apareça outro Salazar para endireitar e moralizar o país (e que não fume dentro dos aviões!).
 
Ainda me lembro bem, teria eu talvez uns nove anos. À hora do almoço o meu pai entrou em casa e aos três filhos mais velhos - eu era o terceiro - deu, ao mais velho três moedas de 2$50, lindas, novinhas, resplandecendo, à minha irmã duas e a mim uma só! Acabadas de cunhar, em 1940. Foi no dia 25 de Julho.
 
Isso era consciência de Portugal.
 
Rio de Janeiro, 1 de Julho de 2008
 
Francisco Gomes de Amorim

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D