Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A bem da Nação

CRUZEIRO DO SUL

 

 

... descendente, de quem ?
 
Sobretudo nos EUA um indivíduo, se tiver a pele mais escura do que o «padrão» estabelecido, ou é índio ou latino ou afro-descendente! Os do «padrão» - importados também - são simplesmente americanos e por isso se julgam donos do pedaço! Devagar o tempo vai mostrando que esse tal padrão foi mal escolhido!
 
 
Eu que serei descendente de iberos e incógnitos, de iemenitas do sul "um dos primeiros povos a chegar à Península Ibérica", fenícios e gregos, cartagineses, berberes e negros, celtas e bascos, suevos e alanos, godos e visigodos, romanos e árabes e certamente de lusitanos, com 50% de antepassados nascidos no Brasil, vindos possivelmente dessa mesma misturada, vou-me classificar como? Poderia até ser banto-descendente, já que banto nada mais significa do que «gente»! Só encontro enfim uma designação "multi-descendente", o que me deveria dar direito a um passaporte (coisa estúpida, inventada, segundo dizem, pelos franceses no século XVI) emitido por mais de cinquenta países!
A verdade é que quando se trata de um americano mais escuro lá vem o irritante carimbo de «afro-descendente»!
 
O século XX foi pródigo em nos dar exemplos de grandes, grandes, personagens de África, no topo dos quais não hesito em colocar Nelson Mandela. Mas não só: Leopold Senghor, Martin Luther King, Pelé e Eusébio, Desmond Tutu, Sidney Poitier, Louis Armstrong e muitos outros que Deus sabe o quanto lutaram para se impor.
 
Agora, depois de se assistir a praticamente todos os desportos serem dominados pelos africanos, desde Tiger Woods há 500 semanas à cabeça do ranking mundial, num desporto que em princípio estava e ainda é muito reservado à classe dominante, Lewis Hamilton na Fórmula 1 e o jovem francês Monfils com as irmãs Williams no ténis, Ronaldo, Ronaldinho e Zidane, Oprah Winfrey, a celebridade mais admirada em todo o mundo ocidental, ao imenso escol de artistas musicais em todo o género, surge na constelação das estrelas americanas um fenómeno novo: Barak Obama.
 Obama for America
 
Jovem, boa pinta, culto, educado, admirado no mundo inteiro, desafiando o status quo dos americanos racistas, representa, sem que as pessoas saibam exatamente porquê, uma esperança nova para este mundo cansado de guerras e de inflação provocada artificialmente. torci mais pelo Obama, para que ganhasse as prévias, do que jamais me aconteceu com qualquer outra eleição no mundo. E já vi muitas. Muitas. Em que os candidatos ou não apresentavam nada de novo ou pelo contrário se apresentavam como uma solução retrógrada e perigosa para o país. Vi isso acontecer e... continuo a ver!
 
Obama traz uma esperança grande, não só aos americanos que talvez deixem de ser chamados afro-descendentes, para serem unicamente o que são, americanos, da mesma maneira que os índios americanos também deveriam deixar de ser chamados de índios ou mongólico-descendentes (se é que vieram do interior da Ásia), a todos os povos que podem, e devem, assistir a um decrescer das atitudes racistas.
 
 
Ainda não foi eleito presidente dos EUA. E vai ter uma luta grande para chegar ao topo. Consegui-o Nelson Mandela, Tiger Woods e muitos outros. O meu voto é do coração, mesmo meio estropiado como já está.
E fica uma outra esperança para o Brasil: que este inepto desgoverno entenda que brincar de racismo é feio, sujo e perigoso. Cheira a interesses escusos. E é. Mais ainda no Brasil onde esse racismo está a ser FABRICADO.
 
Rio de Janeiro, 16 de Junho de 2008
 
Francisco Gomes de Amorim
 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D